Início do conteúdo
Notícias Festival internacional Múltipla Dança têm atividades on-line e gratuitas

Funarte Notícias

Publicado em 21 de maio de 2021

Festival internacional Múltipla Dança têm atividades on-line e gratuitas

Ações envolvem cinco países, oito estados do Brasil e oito cidades catarinenses

Festival internacional Múltipla Dança têm atividades on-line e gratuitas Espetáculo “Trottoir”. Foto: Fernanda Tafner/11º Múltipla Dança

O 11º Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea será realizado on-line, entre os dias 24 e 30 de maio. A programação envolve cinco países, oito estados brasileiros e oito cidades de Santa Catarina – estado que normalmente sedia o encontro. Essa edição conta com espetáculos para os públicos infantil, juvenil e adulto, “conferências dançadas”, e mostra de videodança, lançamento de livro, entre outras atrações, todas gratuitas. Acesse a agenda e links para acompanhar o festival em: www.multipladanca.art.br.

Está anunciada a participação de grupos e artistas da Alemanha, África do Sul, França, Suiça e Brasil; e dos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo e Pernambuco; e das cidades catarinenses de Balneário Camboriú, Blumenau, Criciúma, Florianópolis, Garopaba, Gaspar, Joinville e Pinhalzinho.

O festival é anual. A produção informa que todas as ações desta edição serão mediadas por tecnologias digitais. O formato on-line deste ano foi adotado devido à pandemia de covid 19. O programa dessa edição reúne 35 convidados e inclui sete espetáculos; um curso de formação para professores de arte; quatro oficinas; dois diálogos; sete intervenções digitais; duas “conferências dançadas”; um lançamento de livro; uma homenagem e duas mostras – uma delas de apresentação de resultados de uma das oficinas e outra de videodança, que gerará 26 obras.

Criado em 2006 como seminário e, tempos depois, denominado como festival, o Múltipla Dança tem ocorrido todo ano. Dura uma semana, sempre em maio, em vários espaços de Florianópolis (SC). Segundo a Coordenação de Dança da Funarte, a iniciativa firmou-se no calendário cultural catarinense; e oferece ao público uma programação diversa e consistente. A 11ª edição do festival recebeu o Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura ∕ Artes – Edição 2020, um dos mais importantes prêmios de dança do Sul do País.

Desde a primeira edição do  Múltipla Dança a curadoria do festival é de Jussara Xavier e Marta Cesar. Elas destacam que a pandemia levou a equipe de trabalho do evento a “não tomar adversidade como impedimento, mas transformar, na medida do (im)possível, os desafios em encontros férteis”. Além da exibição de trabalhos artísticos, a iniciativa tem como objetivo possibilitar o acesso a diferentes canais de distribuição (teatros, espaços alternativos ou mesmo a rua); o acesso físico (maior amplitude geográfica e gratuidade do ingresso); e o acesso à produção intelectual (por meio de encontros, conversas, intercâmbio, publicações, lançamento de livros, entre outros recursos).

Espetáculos do Brasil e do exterior

O Múltipla Dança agrega exibições para o público adulto, juvenil e  infantil. Os espetáculos para adultos ganham relevância este ano, com peças criadas dentro e fora do País. A montagem Normal, que abre o festival, no dia 24 de maio, às 20h, é encenado pela Alias, companhia de dança contemporânea suíça, criada pelo coreógrafo brasileiro Guilherme Botelho. O enredo mostra a “frágil e instável estrutura da vida, os obstáculos e a resiliência humana”.  Volmir Cordeiro, nascido em Concórdia e que vive em Paris (França), apresenta Trottoir (Calçada), no dia 26, às 21h, uma metáfora sobre a diversidade humana, que vê a calçada “como um espaço de circulação de mundos, capaz de abrigar o múltiplo, o heterogêneo” – nas palavras do autor. Da Alemanha, Vis Motrix, atração da CocoonDance, será exibida no dia 27 de maio, às 20h, com “seres bizarros” e “bailarinos híbridos — mistura de ser humano e máquina”. A dança brasileira destaca-se nos dias 25, às 21h, e 27 de maio, às 19h, com Desvios Tático-estratégicos para Sobreviver à Vida Urbana, do Grupo Três em Cena (GO), que “explora as escadas como objeto inspirador”.

Para as crianças

O programa inclui três espetáculos infantis da Cia Druw (SP):  Por Ti PortinariDalí, Daqui ou De Lá?; e Poetas da Cor. Os trabalhos têm uma hora de duração e serão apresentados duas vezes, em dias distintos, às 16h. Por Ti Portinari abre a série, com apresentações nos dias 25 e 28. A obra reverencia o brasileiro Cândido Portinari (1903-1962), célebre pela obra Guerra e Paz, criada para a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Dalí, Daqui ou De Lá?, atração em 26 e 29 de maio, conecta as artes visuais e a dança para percorrer as criações do pintor espanhol Salvador Dalí (1904-1989), com referências também aos artistas René Magritte (1898-1967) e Frida Kahlo (1907-1954). Em 27 e 30 de maio, às 16h, é a vez de Poetas da Cor, que utiliza o tema da cor para proporcionar uma experiência lúdica.

Homenageado

O Múltipla Dança sempre presta tributo a profissionais do setor. Nesta edição, Marco Aurelio da Cruz Souza é o homenageado. Natural de Gaspar (SC), ele é professor, pesquisador, artista da dança e produtor cultural. Doutor em motricidade humana, com especialidade em Dança e mestre em Performance Artística, ele é membro da comissão de criação da graduação de licenciatura em dança da Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), além de professor e coordenador do curso. É autor e organizador de livros nas áreas da dança, formação e experiência estética e formação de professores, entre outras atividades.

Informações sobre essas e outras atividades estão disponíveis em: www.multipladanca.art.br.

11º Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea

24 a 30 de maio

Participação gratuita

Realização
Governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultural (FCC), com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura ∕ Artes – Edição 2020.

Ficha técnica
Direção, coordenação de programação e curadoria: Jussara Xavier e Marta Cesar
Produção executiva: Gisele Martins | Design gráfico e mídia eletrônica: Paula Albuquerque | Assessoria de imprensa: Néri Pedroso | Fotografia e vídeo: Cristiano Prim | Operação de streaming: Casarinha | Tradução e interpretação em Libras: Danielle Sousa e José Ednilson Gomes de Souza Júnior | Articuladoras: Jussara Xavier, Marta Cesar, Néri Pedroso e Paula Albuquerque | Ilustração: Fabio Dudas, sobre fotografia de Arnaldo J. G. Torres (Miriam Druwe – Cia. Druw)

Assista aos espetáculos e outras atividades em: youtube.com/festivalmultipladanca

Confira a programação completa e mais informações em
multipladanca.art.br e
facebook.com/festivalmultipladanca