Início do conteúdo
Notícias Andrey Zignnatto abre, na Funarte SP, mostra ‘Territórios Forjados’

Funarte Notícias

Publicado em 29 de abril de 2015

Andrey Zignnatto abre, na Funarte SP, mostra ‘Territórios Forjados’

A partir das 19h desta quarta-feira (29), instalações e fotografias premiadas ocupam a Galeria Mario Schenberg

Andrey Zignnatto abre, na Funarte SP, mostra ‘Territórios Forjados’ ‘Territórios Forjados’: a complexa relação entre o homem e seus mundos natural e artificial. Foto: divulgação

Os trabalhos apresentados a partir de hoje (29) na exposição Estudos para Novas Propostas de Interpretações do Espaço Físico – Territórios Forjados entrelaçam cinco anos de pesquisa artística à história do próprio autor, o paulista de Jundiaí Andrey Zignnatto. Em 2010, Andrey retornou à velha olaria onde comprava, na pré-adolescência, material de construção para o avô, pedreiro de quem era ajudante. Mas os tijolos de cerâmica que então construíam residências, agora se transformam em obras de arte, contempladas com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2014.

“O ser humano é o único produto da natureza que não se adapta totalmente ao que a própria natureza oferece, e produz uma realidade cada vez mais artificial”, avalia o artista. O trabalho de Andrey convida a pensar sobre a linha que separa a ideia (o que se imagina como projeto) e os mecanismos utilizados para materializá-la. Sua obra leva em conta, também, a história do espaço onde funciona o Complexo Cultural Funarte SP, que, originalmente projetado para abrigar atividades industriais, transformou-se sucessivamente para poder acolher produções artístico-culturais.

Segundo Zignnatto, o conjunto das obras reunidas em Territórios Forjados oferece, a cada espectador, um espaço para refletir sobre “a complexa relação entre o homem e seu mundo conhecido, natural e artificial”. Para ele, “crescemos (…) condicionados a compreender a organização entre os elementos que compõem o universo físico de forma padronizada, através de sistemas como, por exemplo, a simetria e a ergonomia. Este trabalho utiliza, como mecanismo conceitual, a ‘lógica absurda’ (…), através da subversão de instrumentos básicos utilizados na elaboração de projetos arquitetônicos e objetos, como réguas, transferidores, folhas com grades, etc. Os elementos pictóricos destes instrumentos se projetam do bidimensional para o tridimensional, estabelecendo relações diretas com mundo”, considera.

Na intervenção Erosões, que participa da mostra, a funcionalidade do tijolo desde cedo presente no cotidiano do artista, deu base à sua arte contemporânea. Centenas de blocos independentes, mas agrupados, projetam um “desenho gráfico de topografia”. O detalhe, em forma do fenômeno que conhecemos na natureza como erosão, surge “como uma espécie de acidente projetado, consequência de uma ação irregular”, descreve o artista. Além de “uma espécie de esforço para equalizar forças distintas”, como natural e artificial, ou força e suavidade, Territórios Forjados também questiona “as tradições formais sobre os princípios cartesianos de linguagem da interpretação do mundo material, propondo um pensamento renovado da dinâmica de leitura do universo físico e seus signos”, conclui.

Sobre Andrey Zignnatto – Andrey Zignnatto nasceu em 18 de fevereiro de 1981, em Jundiaí (SP), cidade onde reside. Trabalha entre São Paulo e Jundiaí. Artista autodidata, participou de diversos cursos e oficinas da Associação dos Artistas Plásticos de Jundiaí, onde também atuou como professor entre 1999 a 2011. Em 2013, participou da 4a. Edição do Colônia de Férias, realizado no Atelier 397. Frequentou entre 2013 e 2014 o grupo de discussões de projeto Atelier Hermes, com acompanhamento dos artistas Nino Cais e Marcelo Amorim. Participa do grupo de discussões do Atelier Fidalga, com acompanhamento dos artistas Sandra Cinto e Albano Afonso. É idealizador do Circuito de Artes Visuais de Jundiaí; Futuro – Salão Nacional de Artes Visuais – Arte Contemporânea e Novas Tecnologias, e Movimenta – Festival Nacional de Dança Contemporânea. É, também, diretor da Fluxus Cia de Dança Contemporânea. Entre participações de exposições e salões, destacam-se: Edital Temporada de Exposições do Paço das Artes 2015; 1º lugar: 11º Salão Nacional Elke Hering – Blumenau – SC; O Saber da Linha Pinta London Art Fair– Londres – UK; Prêmio Honra ao Mérito Arte e Patrimônio – IPHAN/MINC com exposição no Centro Cultural Paço Imperial; 18º Festival Cultura Inglesa – projeto Umbrella – Britsh Culture Center – SP; 1º lugar: 4º Salão Nacional de Cerâmica – Curitiba – PR.

Exposição Estudos para Novas Propostas de Interpretações do Espaço Físico – Territórios Forjados
Abertura: Dia 29 de abril | Quarta-feira, às 19h
Visitação: De 30 de abril a 12 de junho | De segundas a sextas, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 15h às 21hs
Entrada franca
Classificação etária: livre

Trabalhos apresentados: Erosões: agrupamento de tijolos cerâmicos, e tijolos cerâmicos recortados (120 cm altura x 300 cm largura x 1200cm profundidade, 2015) | Estudos para Novas Propostas de Interpretações do Espaço Físico: tijolo cerâmico, barbante, prumo de latão, régua acrílica, impressão em papel, caneta hidrocolor sobre parede/ dimensões variáveis, 2015) | Estado de Repouso: grupo de 5 fotografias impressas em papel (25 x 80 cm), 2013 – registro de ações realizadas em espaços da olaria

Galeria Mario Schenberg do Complexo Cultural Funarte São Paulo
Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo, SP. Tel (11) 3662-5177