Início do conteúdo
Notícias Memória: Luiz Melodia, 70 anos

Funarte Notícias

Publicado em 8 de janeiro de 2021

Memória: Luiz Melodia, 70 anos

Funarte relembra Projeto Pixinguinha e programa de rádio Estúdio F, com o artista

Memória: Luiz Melodia, 70 anos

Compositor de grandes sucessos da música popular brasileira, como Estácio Holly Estácio e Pérola Negra, o cantor e compositor Luiz Melodia completaria 70 anos de idade no dia 7 de janeiro, quinta-feira, quando foi lembrado por amigos e fãs nas redes sociais. Na Fundação Nacional de Artes – Funarte, a memória do artista, falecido em 2017, aos 66 anos, leva também à lembrança do Projeto Pixinguinha. Criado pela instituição em 1977, ele reunia caravanas de artistas que percorriam cidades brasileiras em apresentações musicais.

Melodia foi uma das atrações da iniciativa na temporada de 1979. Apresentou-se ao lado da atriz e cantora Zezé Motta e da intérprete iniciante Marina Lima. Levando na bagagem rocks, blues e também algum samba, o trio carioca esteve na estrada entre os meses de outubro e novembro daquele ano. Percorreu o Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Brasília. Segundo os relatórios da Funarte, um total de 31.598 pessoas assistiram ao show, como se pode conferir na postagem dedicada à turnê, publicada no projeto Brasil Memória das Artes, realizado pela Fundação. Acesse a publicação aqui.

Presença constante nas produções do antigo Instituto Nacional de Música (atual Centro da Música da Funarte), o cantor ainda nos prestigiou com apresentações no Teatro Dulcina e na Sala Funarte Sidney Miller, entre 1980 e 1981. Melodia retornaria a excursionar com o Projeto Pixinguinha, ao lado das cantoras Rosa Maria e Andréa Daltro, em 1985, num circuito que passou Pela Região Centro-Oeste, e pelos estados do Rio de Janeiro e Santa Catarina.

Todos os registros sonoros e as imagens desses shows podem ser consultados no Centro de Documentação e Pesquisa da Funarte. No Cedoc estão preservados também os releases das apresentações, materiais de divulgação (como cartazes e folders) e as críticas publicadas pela imprensa. Além de todo o material bibliográfico, estão disponíveis, ainda, toda a documentação arquivística sobre a organização do Projeto Pixinguinha – importante fonte de informação sobre o apoio do Governo Federal a artistas iniciantes, ou ainda àqueles já fora do chamado mainstream (o cenário da cultura de massa). Todas essas referências podem ser acessadas por meio do catálogo on-line do Cedoc, neste link.

Luiz Melodia também foi tema de uma edição do programa de rádio da Funarte Estúdio F, que relembrou sua infância no bairro do Estácio (berço do samba carioca) e apresentou destaques de sua discografia, como Estácio, Eu e Você, Juventude Transviada e os já citados Estácio Holly Estácio e Pérola Negra – este último seu primeiro sucesso, lançado em 1973, por Gal Costa. O programa, roteirizado por Claudio Felício e apresentado por Paulo Cesar Soares (servidores da Funarte), pode ser ouvido neste link.

 

Texto: Coordenação de Difusão e Pesquisa – Cepin – Funarte
Edição: Coordenação de Comunicação – Funarte