Início do conteúdo
Notícias Funarte MG apresenta releitura de ‘Rigoletto’, de Giuseppe Verdi

Funarte Notícias

Publicado em 29 de janeiro de 2021

Funarte MG apresenta releitura de ‘Rigoletto’, de Giuseppe Verdi

Projeto Óperas em Cena tem sessões de peças retratadas no Miniteatro de Ópera

Funarte MG apresenta releitura de ‘Rigoletto’, de Giuseppe Verdi Músicos na releitura de ‘Rigoletto’. Crédito da imagem: Reprodução do vídeo

Maquete, que reproduz um teatro clássico, está exposta na regional

A Fundação Nacional de Artes, por meio da Funarte MG, disponibilizou em seu canal no YouTube uma releitura da ópera Rigoletto, de Verdi. O espetáculo integra o projeto Óperas em Cena, que reúne releituras de peças operísticas famosas, escolhidas a partir das reproduções retratadas no Miniteatro de Óperas — maquete artística exposta na representação regional da Fundação, em Belo Horizonte.

Rigoletto é uma peça operística em três atos do compositor italiano Giuseppe Verdi (1813- 1901). É inspirada no texto Le Roi S’Amuse, O Rei se Diverte, de Victor Hugo. Rigoletto, o protagonista, é um bobo da corte do Duque de Mântua, que acaba sendo alvo de uma maldição rogada pelo conde Monterone. A história aborda temas como a loucura, a luxúria e a exclusão social.

Com duração de 11 minutos, o vídeo tem início com toques de piano, seguidos pela fala de Aline Cântia, responsável pelo texto e narração. Ela lê o trecho de uma carta, escrita em 1850, por Verdi, ao empresário do Teatro La Fenice. Naquele momento, a censura tinha sugerido mudanças à ópera. Aline Cântia, então, segue para a história, acompanhada pela performance musical da soprano Camila Corrêa, da flautista Nara Franca e do pianista André Brant. Confira:

O projeto Óperas em Cena conta com quatro vídeos, cada um inspirado em uma ópera, encenados com a utilização de uma das linguagens contempladas pela Funarte — música, teatro, circo e dança; ou com mais de uma delas. A meta principal é difundir o Miniteatro, que reproduz, com detalhes, os ambientes típicos das óperas de séculos passados, quando o gênero artístico era muito popular. A obra de arte foi idealizada e construída na década de 1960, pelo ex-tenor Carlos José Villar. Nos anos 1980, após a morte do artista, a família doou a obra ao acervo da Fundação. Esse patrimônio está em restauração, graças a outro projeto, também desenvolvido pela Funarte MG.

Assista abaixo ao teaser do projeto

Com informações da Funarte MG