‘Mamãe’ volta aos palcos cariocas em 10 de janeiro | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialTeatroTodas as notícias‘Mamãe’ volta aos palcos cariocas em 10 de janeiro

‘Mamãe’ volta aos palcos cariocas em 10 de janeiro

Monólogo com o ator Álamo Facó abre a temporada de 2018, no Teatro Dulcina, no Centro do Rio

Publicado em 21 de dezembro de 2017 Imprimir Aumentar fonte
“Mamãe”, com Álamo Facó – Pascale Photo
“Mamãe”, com Álamo Facó – Pascale Photo

O solo Mamãe, que já foi encenado em vários estados brasileiros desde sua estreia, em 2015, retorna em 2018, para nova temporada no Rio de Janeiro (RJ), desta vez no Teatro Dulcina, na Cinelândia. A reestreia é dia 10 de janeiro, quarta, às 19h. Na ocasião, o autor e ator Álamo Facó vai lançar a publicação do texto Mamãe, pela Editora Cândido. Primeiro texto publicado por Facó, aborda a luta e o dia a dia de sua mãe, a arquiteta Marpe Facó, vitimada por um tumor cerebral. O espetáculo fica em cartaz até 25 de janeiro, com apresentações as quartas e quintas sempre às 19h. Os ingressos custarão R$ 40 e R$ 20 (meia).

Álamo Facó vivenciou 100 dias de uma verdadeira jornada emocional, após sua mãe receber o diagnóstico de um tumor cerebral. Sempre ao lado de Marpe, ele acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, o ator mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, do qual nasceu o solo Mamãe. Influenciado por artistas como Lygia Clark, Bruce Nauman e Marina Abramovic, o texto não traz o drama exacerbado das histórias com essa temática, nem tampouco sua estética traz os tons pastéis de um hospital. A peça tem como prioridades o encontro com o espectador e a busca pelo ineditismo.

O espetáculo Mamãe estreou em dezembro de 2015, no Espaço Sesc Copacabana, e nasceu da necessidade de levar aos espectadores uma história real, sem sentimentalismos. “Apesar do tema, a peça é bem lisérgica, uma peça pró vida!”, diz Álamo Facó. Não se atendo a uma realidade documental, o texto dá voz à personagem Marta que, perdendo suas faculdades cerebrais, começa a expandir sua consciência a limites inesperados. “Eu sou o cérebro dela. Aqui a dramaturgia é usada como limite”, comenta o ator. O monólogo traz à cena os tabus que permeiam a morte, as variações do consciente e os limites do amor entre mãe e filho.

Segundo solo da carreira de Álamo, Mamãe foi construído através de parcerias entre o ator e pessoas pelas quais cultiva respeito e admiração. “Esse é um espetáculo híbrido. Eu a dirijo, mas ao mesmo tempo, convido o César Augusto, que é um artista que eu admiro muito, para colaborar na direção. Com a Bia Junqueira, que é uma artista plástica em quem confio e admiro, a mesma coisa. Chamei para criar uma instalação/cenário comigo. E isso se estendeu ao figurino, iluminação, som, tudo!” A parceria profissional de Álamo Facó e César Augusto teve início no primeiro trabalho com a assinatura de Álamo, o solo Talvez. Com este solo e outros trabalhos, Álamo se apresentou em sete países, pela Europa e América Latina (Inglaterra, Escócia, Alemanha, Holanda, Chile, Argentina e Portugal).

Álamo Facó foi premiado como Melhor dramaturgo pelo prêmio Questão de Crítica. Foi indicado ao prêmio APTR de Melhor dramaturgia, ao prêmio CENYM de Melhor monólogo e preparação corporal, e ao prêmio CESGRANRIO, nas categorias: Melhor autor, melhor ator e melhor espetáculo do ano. Em março de 2018, o solo Mamãe será apresentado no Festival de Teatro de Shenzhen, na China, e depois, nos festivais de Avignon (França) e Edimburgo (Escócia). Não há hoje, no Brasil, outro artista de teatro solo se apresentando no exterior. No segundo semestre de 2018, Álamo estreará seu terceiro solo, Trajetória Sexual, completando assim, A Trilogia da Perda.

Ficha Técnica:
Texto e atuação: Álamo Facó
Direção: Álamo Facó e Cesar Augusto
Direção de movimento: Luciana Brites
Direção Musical: Rodrigo Marçal
Direção Musical do Performer: Lan Lanh
Luz: Felipe Lourenço
Cenário: Bia Junqueira
Instalação original: Álamo Facó
Figurino: Ticiana Passos
Trilha Sonora: Álamo Facó e Rodrigo Marçal
Preparação Vocal: Sonia Dumont
Projeto gráfico: Thiago Ristow
Foto cartaz: Julio Andrade
Fotos de cena: André Maceira
Assessoria de Imprensa: Equipe D
Produção: Galharufa Produções Culturais e Álamo Facó
Colaboração Artística: Dandara Guerra, Fernando Eiras, Enrique Diaz, Bel Garcia, Remo Trajano, Julio Andrade, Tamara Barreto, Lidoka Martuscelli, Andrucha Waddington, Lully Villar, Marina Viana, Victor Garcia Peralta, Cristina Flores e Renato Linhares.

Serviço:

Mamãe
Estreia: 10 de janeiro de 2018

Temporada: De 10 a 25 de janeiro de 2018, as quartas e quintas, às 19h.

Local: Teatro Dulcina
Rua Alcindo Guanabara, 17, Centro – Rio de Janeiro (RJ)
(021) 2240-4879

Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia)
Classificação Etária: 14 anos
Duração: 70min
Capacidade do teatro: 429 lugares