Início do conteúdo
Notícias Espetáculo ‘Glauco’ estreia dia 21 de março na Funarte MG

Funarte Notícias

Publicado em 19 de março de 2019

Espetáculo ‘Glauco’ estreia dia 21 de março na Funarte MG

Primeira montagem da Pigmentar Companhia leva ao teatro discussões sobre desejo, violência, homofobia e racismo, entre pessoas LGBTQIs e com deficiência visual

Espetáculo ‘Glauco’ estreia dia 21 de março na Funarte MG

Será na próxima quinta-feira, dia 21 de março, às 20h, na Funarte MG, em Belo Horizonte, a estreia do espetáculo Glauco, que marca o surgimento da Pigmentar Companhia de Teatro. A montagem tem como ponto de partida a obra do poeta marginal Glauco Mattoso e traz à tona o grito da invisibilidade das pessoas com deficiência visual e LGBTQIs. A curta temporada vai até domingo (24), sempre às 20h, com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). A direção é de Allan Calisto.

No palco, os atores Dudu Melo e Vinicius Guedes dão corpo e voz a 14 sonetos do escritor paulistano, construindo uma dramaturgia sensível, que busca ampliar as possibilidades de ser das pessoas cegas, revelando suas experiências com o desejo, o sexo, o afeto, a violência e a solidão. Deixando de lado o vitimismo atribuído geralmente às pessoas com deficiência visual, a peça mostra a autonomia do corpo cego, que também possui prazeres, sentimentos, sonhos, contradições, e diferentes gêneros e orientações sexuais, como quaisquer pessoas.

Durante o processo de criação, que teve início em junho de 2018, foram selecionados poemas de Glauco Mattoso que abordam temas como: cegueira, invisibilidade social, sexualidade, gênero, fetiche, entre outros. Os escritos se alinham às experiências vividas pelo artista deficiente visual Dudu Melo e pelo também ator Vinicius Guedes, junto a uma pesquisa coreográfica proposta pelo bailarino Samuel Samways, que assina a preparação corporal do trabalho, trazendo elementos do contato-improvisação e da dança contemporânea queer à cena.

Um espetáculo que a partir da sinestesia, do toque, do tato, do cheiro, da música, e dos diversos sentidos, se anuncia como um ritual e também como um manifesto político-poético. A trilha sonora é assinada pelo grupo mineiro Confeitaria, sendo mais um elemento dramatúrgico respirando juntamente aos corpos em cena. A iluminação é do diretor Allan Calisto, que também acrescenta uma nova camada plástica e visual à encenação. A montagem teve pré-estreia na cidade de São Paulo, com apresentação única em dezembro de 2018, que contou com a presença do próprio escritor Glauco Mattoso, um dos interlocutores do processo de criação.

Uma proposta de espetáculo audiodescritivo

Na narrativa do espetáculo, de forma natural e orgânica, o texto se autodescreve, fazendo com que o espectador vidente e deficiente visual se conectem com o universo da cena, trazendo sensações sinestésicas e agregando elemento dramático ao enredo. Com este recurso, é possível conhecer, figurinos, expressões faciais, linguagem corporal, entrada e saída de personagens em cena, bem como outros tipos de ação e detalhes que serão importantes para que as pessoas com deficiência visual construam o seu entendimento e interpretem aquilo que assistem. Além disso, o espetáculo abre as portas 30 minutos antes de seu início para as pessoas com deficiência visual, e estas poderão conhecer previamente os atores, forma de cenário, texturas de figurinos, proporcionando efetivamente a inclusão do espectador não vidente, de forma que as apresentações sejam acessíveis a este público.

Sobre a Pigmentar Companhia

O nome “Pigmentar” vem da doença “retinose pigmentar” que levou Dudu Melo à cegueira, além da ideia de “pigmento de cor” trazido pelo ator e diretor negro, Allan Calisto. A companhia nasce junto com esse espetáculo, e a proposta de Allan e Dudu é que a Pigmentar Companhia atue como uma plataforma artística, onde em diferentes momentos podem se agregar diferentes artistas, em diferentes linguagens.

Ficha Técnica

Elenco: Dudu Melo e Vinicius Guedes
Texto em Sonetos: Glauco Mattoso
Argumento: Dudu Melo e Allan Calisto
Dramaturgia e Direção: Allan Calisto
Coreografia e preparação corporal: Samuel Samways
Trilha sonora original: Gabriel Murilo e Lucas Mortimer – Confeitaria
Figurino: Clarice Rena
Assistente de produção: Elisa de Jesus
Cenário: Helvécio Izabel
Assessoria de Imprensa: Bremmer Guimarães
Produção executiva: Dudu Melo e Allan Calisto
Realização: Pigmentar Companhia
Apoio: Galpão Cine Horto

Serviço

Espetáculo Glauco
De 21 a 24 de março
Quinta a domingo, às 20h

Ingressos: R$20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Funarte MG
Rua Januária, 68 – Centro – Belo Horizonte (MG)
Telefone: (31) 3213 3084