Divulgado o vencedor do 6º Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva (2012) | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialTeatroTodas as notíciasDivulgado o vencedor do 6º Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva (2012)

Divulgado o vencedor do 6º Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva (2012)

O português Luís Patrício Campião é o autor contemplado, com o texto 'Nossa Senhora da Açoteia'

Publicado em 25 de setembro de 2012 Imprimir Aumentar fonte

A Fundação Nacional de Artes – Funarte (Ministério da Cultura do Brasil) publicou, no dia 24 de setembro de 2012, no Diário Oficial da União, o resultado do 6º Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva. A peça Nossa Senhora da Açoteia, de Luís Patrício Campião (Portugal) é a obra vencedora. O Prêmio é realizado pela Funarte, em parceria com o Instituto Camões, de Portugal.

O autor vai receber 15 mil euros como premiação, além da edição do texto contemplado, nos dois países. Textos de autores das duas nacionalidades concorreram ao prêmio. Um júri formado por seis especialistas – três brasileiros e três portugueses – analisou as oitos obras finalistas, selecionadas dentre 262 trabalhos inscritos. O júri atribuiu, ainda, uma menção honrosa para a peça Aquele Boliche em Iguaba, de autoria do brasileiro Rodrigo Valle de Alzuguir.

Além de ser um incentivo ao surgimento de novos autores, o Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva tem como objetivo impulsionar a escrita dramática em todos os gêneros, além de reforçar as parcerias de desenvolvimento e cooperação cultural entre Brasil e Portugal.

O dramaturgo contemplado – O português Luís Miguel Patrício Campião, tem 38 anos. É licenciado em Teatro pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto (Ramo Atores). Concluiu pós-graduação em Texto Dramático na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Frequenta, atualmente, o mestrado em Teatro – Escritas de Cena, na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Entre 2001 e 2011, desenvolveu trabalhos em várias áreas da atividade teatral. Como ator independente, trabalhou com Mário Barradas, Rogério de Carvalho, Joana Providência, entre outros. Como encenador, dirigiu textos de Sarah Kane, Bertolt Brecht, Alberto Adellach, Esther Gerritsen e Fausto Paravidino. Foi docente de Expressão Dramática na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto. A Cova dos Ladrões, peça de sua autoria, foi levada à cena pela Acta – A Companhia de Teatro do Algarve, em 2010.

A peça contemplada com o Prêmio Luso-Brasileiro, Nossa Senhora da Açoteia, é o monólogo de uma mulher. A personagem narra histórias de três gerações da sua família: fala de si própria, de sua a mãe e de sua avó. Todas estas mulheres sempre sofreram violência por parte dos homens. Depois de terem passado por muitos abusos, as três acabam por se vingar, de forma também violenta – até macabra.

No Brasil, o resultado do 6º Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva foi publicado no Diário Oficial da União – Seção 1 – Edição nº 185, no dia 24 de setembro de 2012, segunda-feira, na página 24.

Leia mais sobre o Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva aqui

Acesse a página do Instituto Camões em http://instituto-camoes.pt