Teatro Dulcina apresenta ‘Mona canta Dalva’ | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialMúsicaTodas as notíciasTeatro Dulcina apresenta ‘Mona canta Dalva’

Teatro Dulcina apresenta ‘Mona canta Dalva’

Show em homenagem à cantora Dalva de Oliveira reestreia no teatro da Funarte, no Centro do Rio

Publicado em 2 de março de 2018 Imprimir Aumentar fonte
Mona canta Dalva
Mona canta Dalva

A cantora e atriz Mona Vilardo relembra grandes sucessos de Dalva de Oliveira, no show que homenageia a Rainha do Rádio, a partir do dia 14 de março, no Teatro Dulcina, na Cinelândia, Centro do Rio (RJ). A temporada irá até 29 de março, com apresentações as quartas e quintas, sempre às 19h30.

No espetáculo, Mona Vilardo interpreta canções como Folha morta (Ary Barroso), Ave Maria no morro (Herivelto Martins), Lencinho branco (Dilermano dos Santos e Sólon Sales), As Pastorinhas (Noel Rosa e Braguinha), além de outras imortalizadas na voz de Dalva. Nas obras cantadas por Dalva de Oliveira, Mona encontra a mistura técnica vocal que está presente também no seu próprio registro vocal e no seu repertório. Canções com grande empenho vocal, que falam do amor e da dor, fazem parte da seleção musical escolhida.

Sobre Dalva de Oliveira

Dalva de Oliveira nasceu em 5 de maio de 1917. Completaria 100 anos em 2017, e foi, sem dúvida, uma das maiores vozes do Brasil. Rainha da Voz e Rouxinol Brasileiro foram alguns títulos concedidos a ela por sua bela extensão vocal, que ia do contralto ao soprano. Durante a carreira, iniciada ainda nos anos 1930, realizou mais de 400 gravações e sua voz está em vários coros dos discos de outros grandes nomes da música brasileira como Carmem Miranda, Orlando Silva, Francisco Alves, Mário Reis, entre outros. Sua carreira teve algumas interrupções, quase sempre motivadas por uma vida pessoal turbulenta.

Seu tumultuado casamento com o compositor e cantor Herivelto Martins, com quem formou o Trio de Ouro, rendeu inúmeras canções, lembradas até hoje em suas interpretações inesquecíveis. Da união, que terminou em 1947, nasceram Peri Oliveira Martins, o cantor Pery Ribeiro, e Ubiratan Oliveira Martins.

Após a separação, Dalva retomou a carreira solo, em 1950, lançando os sambas Tudo acabado (J. Piedade / Osvaldo Martins) e Olhos verdes (Vicente Paiva), e o samba-canção Ave Maria (Vicente Paiva / Jaime Redondo), sendo os dois últimos grandes sucessos da cantora.

Dalva de Oliveira também teve incursões no cinema. Em 1951, filmou Maria da praia, dirigido por Paulo Wanderley, e Milagre de amor, dirigido por Moacir Fenelon. Antes, em 1938, a cantora dublou os diálogos da personagem Branca de Neve, na primeira versão do filme Branca de Neve e os Sete Anões, produzida pelos estúdios Disney.

Sobre Mona Vilardo

Cantora e atriz é formada em canto lírico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com larga experiência em teatro musical e canto coral, tendo excursionado pela Europa e Estados Unidos desde o início do seu aprimoramento vocal, aos 8 anos de idade.  Atuou nos musicais brasileiros Emilinha e Marlene – a Era do Rádio e Agnaldo Rayol – alma do Brasil.

Ficha Técnica:
Roteiro – Mona Vilardo e Marcia do Valle
Direção Artística e Direção de Arte – Marcia do Valle
Partituras – Alexandre Prado
Figurino – Espetacular Produções e Artes – Dani Vidal e Ney Madeira
Luz – Filomena Mancuzo
Assessoria de Imprensa, Produção e Administração – Mancuzo Entretenimento
Realização – Mona Vilardo e Silvério Ortiz
Voz – Mona Vilardo
Violão – Marco Lima
Trompete – Ricardo Nascimento
Percussão – Ayres D’Athayde

Serviço:

Mona canta Dalva

Quartas e quintas, às 19h30.
Temporada até 29 de março.

Local: Teatro Dulcina
Rua Alcindo Guanabara, 170, Cinelândia, Centro
Rio de Janeiro (RJ)

Classificação Etária: 10 anos
Duração: 60min.
Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia entrada)