Início do conteúdo
Notícias Funarte lamenta morte do guitarrista Dino Rangel

Funarte Notícias

Publicado em 7 de março de 2019

Funarte lamenta morte do guitarrista Dino Rangel

Considerado virtuose do jazz em estilo brasileiro, ele faleceu no dia 27 de fevereiro

Funarte lamenta morte do guitarrista Dino Rangel Foto: rede social do artista

A Fundação Nacional de Artes – Funarte, por meio de seu Centro da Música, lamenta o falecimento do guitarrista e compositor Dino Rangel. Com 54 anos, considerado exímio instrumentista, principalmente de jazz, que tocava em “estilo brasileiro’, ele morreu no dia 27 de fevereiro de 2019, quarta-feira, de infarto.

Nascido em Niterói, no dia 6 de abril de 1964, Osvaldino Rangel confirmava a influência de mestres brasileiros das cordas, como o Hélio Delmiro, por exemplo. Estudou nos Estados Unidos, com guitarristas de jazz. Mas, sempre ligado ás raízes brasileiras, em 1991, entrou para o grupo Brasilianas, onde tocava músicas no ritmo norte-americano, com clara influência da música do Brasil. Seu primeiro álbum solo foi Café (1998). Gravado entre 1996 e 1997, o trabalho apresentou obras autorais e arranjos do artista.

Considerado pela crítica e pela comunidade musical brasileira como guitarrista de técnica extraordinária, Dino Rangel vivia em viagens entre o Brasil e o exterior – o que é retratado em seu segundo disco, Partir… Voltar (2008), que reúne obras com ritmos nacionais de compositores brasileiros, como Tom Jobim e Guinga, entre outros – mas com jeito jazzístico de tocar. Sua técnica e singularidade o levaram o músico a alcançar amplo reconhecimento. A partir dos anos 2010, além de tocar, o artista passou a transmitir um pouco dessas qualidades a seus alunos, através de oficinas de guitarra.

A perda de Dino Rangel foi muito lamentado nas redes sociais. “Foi um dos maiores guitarristas do Brasil”, informa o Centro da Música da Funarte.

Com informações do G1