10 set 2010

Presidente da Funarte lança o Circuito Interações Estéticas em São Paulo

2 Comentários
5

A partir de criações inovadoras entre o que se chama de arte “erudita” e a arte dos Pontos de Cultura, a cultura reafirma seu papel de estabelecer diálogos a partir da diferença. É o que destacou o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Sérgio Mamberti, durante a abertura do Circuito Interações Estéticas, etapa São Paulo, na manhã de quinta-feira, 9, no complexo da Funarte. Segundo ele, as expressões culturais que emanam do povo são garantidas pela Convenção da Diversidade Cultural, sem discriminação e limite entre as artes “erudita” e “popular”. O evento é organizado em parceria com a Secretaria de Cidadania Cultural (SCC) do Ministério da Cultura e a Universidade Federal de Pernambuco.

O diretor do Centro de Programas Integrados (Cepin) da Funarte, Tadeu Di Pietro, lembrou que o objetivo do Circuito Interações Estéticas é permitir que o Brasil conheça de perto as produções artísticas do Prêmio Interações Estéticas, já em sua terceira edição e com 357 propostas vencedoras. “Trata-se de um processo de disseminação e consolidação dessas experiências únicas. A cidadania se conquista pela expressão individual e coletiva, e cabe ao povo expressar seus desejos pelo viés da arte”, considerou.

Entre as artistas residentes convidadas para compor a mesa e relatar suas experiências, estavam Alessandra Vanucci, diretora de teatro e parceira do Pontão de Cultura Teatro do Oprimido de Ponto a Ponto, do Rio; Christina Streva, diretora artística do Coletivo Ser Tão Teatro, de João Pessoa (PB), e Tiche Vianna, atriz, diretora do Núcleo Barracão de Teatro e residente no Ponto de Cultura Nina, de Campinas (SP).

Christina Streva participou da criação do primeiro curso de artes cênicas da Paraíba, na Universidade Federal do estado (UFPB). “Havia poucos profissionais e era preciso mudar esse cenário. O pontapé inicial foi criar um grupo de teatro e, assim, criamos o coletivo Ser Tão Teatro em 2006. Após o primeiro espetáculo, estávamos sem caminho e percebemos que tínhamos que criar um intercâmbio”, relatou.

A partir daí, o Ser Tão Teatro conseguiu parcerias com grupos de teatro de outros estados nordestinos, entre eles o Clowns de Shakespeare, de Natal (RN), cujo intercâmbio foi potencializado pelo Prêmio Interações Estéticas. “Isso é fruto da continuidade de um conjunto de políticas públicas, do esforço de grupos de teatro e universidades que promovem um Brasil mais democrático e mais cultural”, finalizou.
Mulheres oprimidas

Ao criar “Madalena, o teatro das oprimidas”, em parceria com o Centro do Teatro do Oprimido (CTO), no Rio, Alessandra Vanucci fez um estudo biográfico sobre mulheres para levá-lo para o teatro. “Quem somos? Quem queremos ser? Quis discutir algumas questões da mulher, cujo corpo muitas vezes é escondido pelo corpo masculino. Fui atrás de madalena, essa mulher apedrejada e condenada por todos”, contou.

O Prêmio Interações Estéticas permitiu ao Teatro das Oprimidas a criação de laboratório artísticos para mulheres em vários localidades no Brasil, Portugal, Guiné-Bissau e Moçambique. “Houve uma comunhão feminina, mesmo com perfis diferentes”, ressaltou.

Potência criativa

No caso de Tiche Vianna, a residência artística no Ponto de Cultura Nina permitiu um “encontro de potências criativas” com um grupo de jovens artistas da periferia de Campinas. “Era um grupo de contadores de histórias, que apareceu para aulas de formação de teatro e resolveu fundar um local para a cultura no bairro. Perceberam que, pela aliança com a comunidade, era possível transformar a realidade deles”, lembra. Com o prêmio, o Núcleo Barracão de Teatro pôde fortalecer o trabalho do grupo e resgatar a auto-estima da comunidade. “A cidade encontrou dentro dela seus pares, o que criou uma mudança de cara do lugar. Com este processo, estamos enraizando e gerando uma mudança de paradigmas no processo artístico brasileiro”, comentou Tiche.

A coordenadora da Funarte São Paulo, Esther Góes, destacou a relação igualitária que as residências artísticas em Pontos de Cultura estabelecem entre os artistas. Ela também citou o potencial que a arte tem de trazer mudanças sociais. “Essas interações entre artistas podem produzir grandes desdobramentos, não só estéticos, como sociais. É a aproximação do tradicional com o contemporâneo, integrando diferenças e criando um novo conceito de arte modernista”, afirmou.
Oficinas

Além da mesa, a programação do Circuito Interações Estéticas de quinta-feira contou com a oficina de teatro, com Fernando Yamamoto, e a de bonecos, com Ângela Escudeiro. Nesta sexta-feira, das 14h às 16h, estão previstas oficinas de dinâmica de palco, com Gui Mallon, e de Haicai, com Carol Ribeiro. As inscrições, gratuitas, podem ser feitas pelo e-mail oficinasfunartesp@gmail.com, ou no local, com meia hora de antecedência.

O Circuito Interações Estéticas consiste na realização de quatro festivais nacionais de cultura e arte contemporânea: São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife. As quatro etapas reunirão cerca de 600 artistas e um público estimado em 60 mil pessoas. O evento é gratuito e aberto ao público.

Estão previstas centenas de apresentações artísticas – espetáculos musicais, de dança e circo, peças de teatro, performances, instalações, exposições, mostras de cinema e vídeo –, seminários temáticos como espaço para reflexão crítica e teórica sobre temas relacionados à cultura e arte contemporânea, oficinas de qualificação e capacitação nas mais diversas linguagens, direcionadas a artistas e público em geral, e intervenções artísticas em espaços urbanos.

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

2

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.

  • Projeto Arte e Cultura na Reforma Agrária
    enviado em 4 de outubro de 2010

    Olá, gostariamos de saber qual o foco real de ação do circuito interações estéticas, em relação à sua programação. A duvida é se nela há o artista contemplado com o premio interações estéticas, o produto resultado do intercâmbio ou os dois grupos (artista e ponto) com distintas apresentações. Por favor, nos responda.

    • Christiana Albuquerque
      enviado em 14 de outubro de 2010

      Olá, responsável pelo Porojeto Arte e Cultura na Reforma Agrária.
      Segue a resposta a seu comentário:
      O Circuito Interações Estéticas é uma ação cujo objetivo é dar visibilidade aos projetos contemplados pelo Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura. Assim, sua programação é composta pelos proponentes contemplados nas duas primeiras edições do edital, 2008 e 2009, e alguns convidados. O foco do evento é convidar o artista para apresentar o produto final do seu trabalho. Alguns dos grupos convidados são de Pontos de Cultura, mas não necessariamente que tenham participado do edital junto a algum artista.
      obrigada