28 nov 2010

Com abordagem contemporânea, Antígona conquista público de BH

Comente
Antígona BH

O grupo Teatro da Neura encantou a plateia na noite de sexta-feira, 26 de novembro, com a peça “Antígona, de Sófocles”. A trama conta a tragédia ocorrida na família de Antígona, que teve seus irmãos mortos na guerra de Tebas. Um de seus irmãos foi considerado traidor da pátria e recebe como condenação ter seu corpo exposto sem direito a enterro. Não concordando com a situação, Antígona desafia o chefe de Estado, Creonte, e enterra o irmão.

A história se passa na Grécia Antiga, durante a guerra de Tebas, e é relacionada aos problemas atuais. Em uma passagem da peça, quando o chefe de Estado, Creonte, quer mostrar para o povo que, apesar de a guerra deixar muitos mortos, havia países em conflitos que matavam muito mais, entregou ao “seu povo” um jornal atual com a capa abordando os ataques dos últimos dias no Rio de Janeiro.

A atriz Kátia Manfredi diz que o objetivo de contextualizar a peça para os tempos atuais é chamar a atenção das pessoas para os problemas existentes na sociedade. “Apesar de ser uma tragédia grega, a história é contemporânea. Queremos mostrar isso, alertar as pessoas”, explicou ela. O grupo também faz uma crítica ao papel de alguns jornalistas no processo eleitoral que ocorreu este ano. “Criticamos o papel da imprensa e a forma como ela transmite a informação para as pessoas”, contou Kátia.

Em um certo momento do espetáculo, a plateia é convidada a interagir. Os presentes puderam lançar desafios e criar situações inusitadas para os atores. O público aprovou a apresentação e aplaudiu de pé. “O espetáculo foi magnífico. Todos são artistas preparados e têm uma crítica política muito bem construída”, comentou o estudante universitário Luiz Oliveira.

(texto: Graziele Lopes)

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

0

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.