15 dez 2010

Carta do Rio traçará o futuro da Ação Interações Estéticas

Comente
circuito interações Rio

Ao longo da tarde do dia 15 de dezembro, no salão Portinari do Palácio Gustavo Capanema, a plenária, conduzida por Carla Dozzi e Dan Baron, colheu sugestões de artistas residentes, Pontos de Cultura e gestores públicos para fortalecer a Ação Interações Estéticas. O objetivo será a elaboração da Carta do Rio, com intenções para o aprimoramento do projeto. Entre os temas debatidos por todos os participantes, estão a sustentablidade e gestão, comunicação e os Pontões de Interações Estéticas, que devem ser pensados também como articuladores políticos da rede.

A produção cultural brasileira ressignificada pelas mãos do povo, a partir de um trabalho de interação e circulação da arte pelo país. Assim definiu, como o grande objetivo do Circuito Interações Estéticas, a coordenadora do Prêmio Interações Estéticas, Juana Nunes, no fechamento da plenária do Seminário Interações Estéticas, durante a etapa Rio do Circuito. “Este é um movimento generoso com a cultura brasileira. Queremos um movimento de experimentação artística e teórica, pensando a cultura como algo estratégico”, destacou ela, que também é coordenadora-geral de mobilização e articulação em rede da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.

O coordenador artístico do Circuito Interações Estéticas, Alexandre Santini, lembrou que o próximo passo será a sistematização da Carta do Rio e agregar Pontos e artistas que ainda estejam fora da Rede Interações Estéticas. “Uma das apostas é pensar a dimensão política da arte, para que haja mais espaços para isso. Seria importante pensar o Interações Estéticas como um movimento artístico, parte da refundação e reinterpretação do Brasil”, disse.

Ainda na quarta-feira, 15, houve a entrega do Prêmio Cultura Viva e o lançamento do novo Portal das Artes, da Funarte (www.funarte.gov.br).
“Apresentamos a nova versão do Portal das Artes, que recebeu várias melhorias. Como destaques, a agenda cultural – que agora tem fotos, geolocalização, espaço para texto – , a área de editais, as edições online, o espaço de cada área da Funarte, as Licitações. Tudo isso foi melhorado no Portal das Artes, cuja página inicial é uma grande janela para todos os conteúdos da Funarte, inclusive o conteúdo criado a partir dos acervos digitalizados e disponível na área Brasil Memória das Artes”, conta a coordenadora do Portal das Artes, Ana Claudia Souza. ” Nessa área, conteúdo multimídia dá uma visão do que há disponível no Centro de Documentação da Funarte (Cedoc) e foi digitalizado pelo CCPF (Centro de Conservação e Preservação Fotográfica). Esse conteúdo – que consiste em áudios digitalizados do Projeto Pixinguinha, Sala Funarte, discos do Projeto Almirante, além de entrevistas e depoimentos; vídeos produzidos pela equipe do Portal, textos, galerias de foto – traça um panorama do cenário da cultura nacional, com intensa participação da Funarte na formulação de políticas públicas para o setor e na guarda (e agora também difusão) da memória das artes no Brasil”, afirma.

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

0

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.