Funarte SP comemora 40 anos de atividades | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página Inicial › Funarte › Todas as notíciasFunarte SP comemora 40 anos de atividades

Funarte SP comemora 40 anos de atividades

Além de manter uma programação variada, a Representação disponibiliza galpões para ensaio e oferece espaços, que podem ser usados como ateliês de artes visuais

Relacionado a: Artes Visuais, Circo, Dança, Funarte, Literatura, Música, Teatro
Publicado em 17 de maio de 2017 Imprimir Aumentar fonte
Complexo Cultural Funarte SP
Complexo Cultural Funarte SP. Foto: divulgação.

A Funarte SP faz 40 anos em 2017 e mantém uma intensa atividade nas áreas de artes visuais, artes cênicas e música. O Complexo Cultural, que fica na capital paulista, na Alameda Nothmann (Campos Elíseos), conta com três salas para teatro e dança (Carlos Miranda, Renée Gumiel e Arquimedes Ribeiro), duas galerias (Mario Schenberg e Flávio de Carvalho) e um auditório (Sala Guiomar Novaes), além do espaço de convivência Waly Salomão e da ala Jorge Mautner. Com um pátio amplo, o lugar está aberto diariamente para a circulação dos artistas, do público e dos moradores da região.

Os artistas que se apresentam ou expõem suas obras no complexo cultural podem ser selecionados por meio de prêmios, ou editais de ocupação, de caráter nacional, lançados pela Funarte. O escritório da instituição em São Paulo também recebe, em fluxo contínuo, propostas de artes visuais, circo, dança, teatro, música e literatura. Os interessados podem sugerir temporadas de espetáculos, oficinas, ensaios abertos e outras atividades artísticas ou culturais. Quando os projetos estão de acordo com os propósitos da Funarte e há salas disponíveis, os espaços podem ser cedidos, mediante apresentação de alguns documentos e a assinatura de um termo de cessão. Nesses casos, as propostas são atendidas por ordem de recebimento e segundo a adequação das atividades aos espaços.

Em parceria com a representação regional do Ministério da Cultura, o complexo cultural oferece, ainda, quatro galpões para ensaio de dança, música e teatro e dois galpões para a instalação de ateliês de artes visuais. Os procedimentos são semelhantes aos adotados para cessão das salas de espetáculos: quando há disponibilidade, os espaços são cedidos por um tempo previamente estabelecido, mediante assinatura de um termo de cessão e entrega dos documentos solicitados pela administração.

Além do Complexo Cultural, a Funarte administra o Teatro de Arena Eugênio Kusnet (Consolação), outro lugar histórico de São Paulo. Fundado na década de 1950 por José Renato, o teatro foi palco de grandes atores e diretores nacionais, entre eles, Augusto Boal, Vianninha e Gianfrancesco Guarnieri. A sala de espetáculos, que homenageia o criador do Teatro do Oprimido, recebe projetos voltados à dramaturgia brasileira. No segundo andar, a Sala Umberto Magnani pode ser usada para exposições.

As propostas para atividades podem ser entregues no escritório da Funarte SP (Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos), de segundas a sextas, das 10h às 18h, ou enviadas por e-mail: funartesp@gmail.com.

História
Em 1977, um escritório regional da Fundação Nacional de Artes foi instalado em uma sala da Delegacia do Ministério da Educação, em São Paulo. O casarão histórico que, então, pertencia ao MEC, foi construído pelo engenheiro Samuel das Neves, na década de 1920, para abrigar a Escola de Aprendizes Artífices de São Paulo – mais tarde transformada na Escola Técnica Federal e transferida para o bairro do Canindé.

No terreno também havia um conjunto de sete galpões, que lembram a arquitetura das fábricas do início do século XX. A edificação foi usada como oficina pelos alunos da instituição de ensino e, mais tarde, adaptada para atividades do MEC. A produtora Maria Luiza Librandi, contratada pela Direção Executiva da Funarte para administrar o novo espaço em São Paulo, foi responsável por transformar o galpão central na Sala Guiomar Novaes, palco de importantes manifestações artísticas nas décadas de 1970 e 1980. A sala de espetáculos recebeu grandes nomes da cena alternativa paulistana, como Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção. Outro galpão foi usado como galeria de artes visuais, o Espaço Mario Schenberg, que promoveu exposições de artistas como Guto Lacaz e Paulo Bruscky.

Os anos 1990 foram marcados por uma expansão da Funarte SP. Os galpões que antes eram usados pelo MEC para atividades administrativas e burocráticas foram transformados em novas galerias de artes e salas de espetáculos. Nos anos 2000, foi feita uma reforma e o Complexo Cultural Funarte SP foi reinaugurado, em 2007, com uma estrutura que se mantém até hoje.

Mais informações
comunicacao.sp@funarte.gov.br
funartesp@gmail.com
(11) 3662-5177