Início do conteúdo
Notícias Funarte MG reabre com shows de João Bosco e grupos pernambucanos e mineiro

Funarte Notícias

Publicado em 18 de novembro de 2010

Funarte MG reabre com shows de João Bosco e grupos pernambucanos e mineiro

Além de João Bosco, Comunidade Azougue, Baião Polinário, Cascabulho e Amaranto se apresentam neste fim de semana, dias 20 e 21 de novembro, às 19h. A entrada é gratuita

Funarte MG reabre com shows de João Bosco e grupos pernambucanos e mineiro João Bosco se apresenta na Funarte MG

A Funarte MG recebe, neste sábado e domingo, dias 20 e 21 de novembro, o músico João Bosco e os grupos Comunidade Azougue, Baião Polinário, Cascabulho e Amaranto. Os shows fazem parte da programação de reabertura do espaço, que passou por uma ampla reforma.

No sábado, Belo Horizonte se transforma na capital da música pernambucana. Às 19 horas, sobem ao palco da Funarte MG, os recifenses do grupo Cascabulho. Com a fusão de ritmos tradicionais, tais como o coco, o baião e o maracatu, eles abrem o show do Baião Polinário e do grupo Comunidade Azougue.

Formado por uma banda base e vários convidados que se revezam no palco, o Baião Polinário possui uma série de músicos atuantes do cenário recifense, de diversas correntes estéticas, como Públius Lentulus (Azabumba e Rabecado), Pierre Leite (Chambaril), Juliano Holanda (Orquestra Contemporânea de Olinda), Carlos Amarelo (Cascabulho), Gustavo Beija-flor (Azabumba), Sanzyo (Comunidade Azougue). Os convidados Rogerman, Jr. Black, Isaar e Zé Brown, também da cena musical pernambucana, interpretam clássicos de Humberto Teixeira em parceria com Luiz Gonzaga, e de Anastácia, em parceria com Dominguinhos. O Comunidade Azougue, formado por músicos de Olinda e Recife, lança o CD Coisas que não se fabricam mais.

No domingo, também às 19 horas, o público confere o show imperdível de João Bosco, com os sucessos dos seus 30 anos de carreira. As mineiras do grupo Amaranto abrem a atração.

A abertura oficial da Funarte MG é no dia 25 de novembro, quando o ministro da Cultura Juca Ferreira e o presidente da Funarte Sérgio Mamberti têm encontro marcado com convidados.  Depois da reforma, que custou R$ 4,8 milhões, o espaço dedicado às manifestações artísticas passa a contar com com dois galpões totalmente equipados para artes cênicas e música, um galpão destinado às artes visuais, além de espaços multiuso e uma livraria-biblioteca.

PROGRAMAÇÃO
Horário: 19 horas
Local: Funarte MG – Rua Januária, 68. Floresta. BH/MG
Ingressos: serão distribuídos dois ingressos por CPF, entre os dias 18 e 21 de novembro, das 15h às 19h
Abertura do local: a partir das 18h
Entrada franca
informações: (31) 3213-3084

Data: 20 de novembro, sábado
Baião Polinário, Comunidade Azougue
Abertura: Cascabulho

Baião Polinário
O Projeto Baião Polinário é um tributo a Luiz Gonzaga, Humerto Teixeira – o “Doutor do Baião”, e à compositora e cantora recifense Anastácia.
Trata-se da reunião de músicos atuantes do cenário recifense, de diversas correntes estéticas, como Públius Lentulus (Azabumba e Rabecado), Pierre Leite (Chambaril), Juliano Holanda (Orquestra Contemporânea de Olinda), Carlos Amarelo (Cascabulho), Gustavo Beija-flor (Azabumba), Sanzyo (Comunidade Azougue).

Os convidados também são da nata da música pernambucana: Rogerman, Jr. Black, Isaar e Zé Brown. Eles vão interpretar clássicos de Humberto Teixeira em parceria com Luiz Gonzaga (como Asa Branca, Assum Preto, Baião, entre outros) e de Anastácia, em parceria com Dominguinhos (como Eu só quero um xodó e Tenho sede).

Na execução, a banda traz para o público elementos de ska, funk, e ritmos pernambucanos. Esse projeto marcou a abertura do São João da Cidade do Recife e foi um grande sucesso de crítica e público em 2010.

Comunidade Azougue
Eis aí uma grande combinação entre experiência e boa música. Artistas pernambucanos representantes da cena musical de Olinda e Recife participam de um encontro inusitado criando uma comunidade sonora, que experimenta os mais diversos grooves. O resultado é um som mais que original que visita as ruas e as ladeiras das duas cidades. Com um repertório cheio de cores e rimas, visitam os carnavais e a poesia de suas personagens.

Fred Caiçara, Chico Tche, Sanzyo Dub, Leo Oroska e Julio Oliveira são músicos que vêm se destacando há uma década em bandas como Caiçaras, Bonsucesso Samba Clube, Sheik Tosado, Astronautas, entre outras. Eles vivenciaram toda a magia do surgimento do Movimento Mangue. Amigos desde a adolescência, os músicos trazem para esse trabalho um pouco da memória de sua cultura em forma de música.

Na Funarte MG, a Comunidade Azougue lança seu primeiro CD, Coisas que não se fabricam mais. O grupo traz um show dançante, influenciado pela malandragem dos sambas de outrora com elementos de dub, samba jazz, black music, cirandas e ritmos afro-pernambucanos.

Cascabulho
Formado em 1995, o grupo traz a fusão de ritmos tradicionais, tais como o coco, o baião e o maracatu. Atualmente, o Cascabulho é formado por Alexandre Ferreira – saxofones, pífanos, violões e vocais; Ebel Perrelli – bateria; Jackson Rocha Jr. – baixos e vocais; João Alencar – percussões; Kléber Magrão – voz e vocais e Léo Lira – violão, guitarras e vocais. O Cascabulho foi selecionado pelo Edital Pauta Funarte 2009.

Data: 21 de novembro, domingo
João Bosco
Abertura: Amaranto

João Bosco
O músico apresentará sucessos dos seus 30 anos de carreira, como Kid Cavaquinho, Bala com bala, Linha de passe e O mestre-sala dos mares. João Bosco será acompanhado por Kiko Freitas, na bateria; João Baptista no baixo e Ricardo Silveira nos violões e guitarra.

Amaranto
As irmãs Flávia, Lúcia e Marina Ferraz trazem o entrosamento de casa. Sempre cantando e tocando juntas, realizam um trabalho vocal extremamente apurado, além de serem instrumentistas (violão, flauta e piano, respectivamente) com sólida formação acadêmica.

Para a apresentação na Funarte MG, o trio preparou um repertório contendo clássicos da música brasileira e internacional, além de composições próprias. O grupo foi selecionado pelo Projeto Pauta Funarte 2009.