Complexo Cultural Funarte SP e Teatro de Arena Eugênio Kusnet participam da Jornada do Patrimônio 2017 | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página Inicial › Funarte › Todas as notíciasComplexo Cultural Funarte SP e Teatro de Arena Eugênio Kusnet participam da Jornada do Patrimônio 2017

Complexo Cultural Funarte SP e Teatro de Arena Eugênio Kusnet participam da Jornada do Patrimônio 2017

O evento, realizado pelo Departamento do Patrimônio Histórico e pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, apresenta visitas guiadas e palestra

Publicado em 8 de agosto de 2017 Imprimir Aumentar fonte
Jornada do Patrimonio
Jornada do Patrimônio 2017. Foto: divulgação.

Nos dias 19 e 20 de agosto, o Complexo Cultural Funarte SP e o Teatro de Arena Eugênio Kusnet participam da Jornada do Patrimônio 2017. Construindo Histórias é o tema do evento realizado pelo Departamento do Patrimônio Histórico e pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. A proposta é pensar na conservação do patrimônio não somente como permanência, mas principalmente como algo que faça sentido no presente e no futuro, recebendo novos significados, em um jogo de continuidades e mudanças que se complementam. O Complexo Cultural Funarte SP e o Teatro de Arena Eugênio Kusnet não poderiam deixar de participar dessa jornada. Ambos são espaços históricos que mantêm sua memória viva e estão presentes no dia a dia dos artistas, do público, da população vizinha e de todos os amantes das artes.

Serão realizadas visitas guiadas, nos dois lugares, nos dias 19 e 20 de agosto, às 10h, 11h, 12h, 14h, 15h e 16h. No dia 19 de agosto, às 16h, no Complexo Cultural Funarte SP, haverá a palestra: Uma cavalariça no coração de Santa Cecília: os galpões do Complexo Cultural Funarte SP. A entrada é franca.

Complexo Cultural Funarte SP

Nos anos 1920, o engenheiro Samuel das Neves construiu um edifício na Alameda Nothmann para a Escola de Aprendizes Artífices (atual Instituto Técnico Federal – IFSP). No terreno havia um conjunto de sete galpões, usados como oficinas pelos alunos da instituição de ensino. Na década de 1970, a escola foi transferida para o bairro do Canindé e uma delegacia do Ministério da Educação e Cultura (MEC) foi instalada no local. Em 1977, a produtora Maria Luiza Librandi foi contratada pela Funarte, que, então, pertencia ao MEC, para administrar um escritório da fundação em São Paulo. O galpão central foi transformado na Sala Guiomar Novaes, palco de importantes manifestações artísticas nas décadas de 1970 e 1980. A sala de espetáculos recebeu grandes nomes da cena alternativa paulistana, como Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção. Outro galpão foi usado como galeria de artes visuais, o Espaço Mario Schenberg, que promoveu exposições de artistas como Guto Lacaz e Paulo Bruscky. Os anos 1990 foram marcados por uma expansão da Funarte SP. Os galpões que antes eram usados pelo MEC para atividades administrativas e burocráticas foram transformados em novas galerias de artes e salas de espetáculos. Nos anos 2000, foi feita uma reforma e o Complexo Cultural Funarte SP foi reinaugurado, em 2007, com uma estrutura que se mantém até hoje.

Teatro de Arena Eugênio Kusnet

O Teatro de Arena Eugênio Kusnet foi inaugurado em 1955, por José Renato, ator e diretor formado pela Escola de Arte Dramática. No ano seguinte, uma parceria com o Teatro Paulista do Estudante resultou na criação do elenco estável do Teatro de Arena, formado por Vera Gertel, Alzira Mattar, Méa Marques, Gianfrancesco Guarnieri, Oduvaldo Vianna Filho, Raul Cortez, Floramy Pinheiro, Marina Freire, Luiz Eugênio Barcelos, Nelo Pinheiro e Fausto Fuser. No mesmo ano, José Renato pediu a Sábato Magaldi a indicação de um novo diretor para o Teatro de Arena. O crítico sugeriu Augusto Boal, que se tornaria um dos mais importantes diretores brasileiros. Em 1958, o Teatro de Arena especializa-se na montagem de obras nacionais, como Eles não usam black-tie, de Guarnieri, e a crítica política passa a ser uma característica marcante dos espetáculos. Com o golpe militar de 1964, o teatro passa por dificuldades e muitos de seus membros são presos e exilados. Apesar da situação política, Arena conta Zumbi, de Guarnieri e Boal, estreia em 1965, abrindo uma nova fase, a dos musicais. Com o decreto do Ato Institucional nº5, torna-se mais difícil manter as atividades do teatro e seus membros participam de turnês internacionais. Em 1971, Augusto Boal é preso. Um ano depois, o Teatro de Arena é fechado. Já em 1977, o Serviço Nacional de Teatro (SNT) adquire o imóvel, que passa a se chamar Teatro de Arena Eugênio Kusnet. Com a fusão desse órgão com a Funarte, na década de 1990, o teatro passa a ser administrado pela fundação.

Jornada do Patrimônio 2017
Complexo Cultural Funarte SP (Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos) e Teatro de Arena Eugênio Kusnet (Rua Dr. Teodoro Baima, 94, Vila Buarque)

Visitas Guiadas
Complexo Cultural Funarte SP e Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Dias 19 e 20 de agosto, às 10h, 11h, 12h, 14h, 15h e 16h
Gratuita

Palestra: Uma cavalariça no coração de Santa Cecília: os galpões do Complexo Cultural Funarte SP
Dia 19 de agosto. Sábado, às 16h.
Gratuita

Mais informações
(11) 3662-5177
funartesp@gmail.com
jornadadopatrimonio.prefeitura.sp.gov.br