Sala Renée Gumiel recebe os solos de dança ‘Bota a cara no sol’ e ‘Vira Lata’ | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialAgenda CulturalDançaSala Renée Gumiel recebe os solos de dança ‘Bota a cara no sol’ e ‘Vira Lata’

Agenda Cultural / Dança

Sala Renée Gumiel recebe os solos de dança ‘Bota a cara no sol’ e ‘Vira Lata’

Publicado em 11 de outubro de 2017 Imprimir Aumentar fonte
Vira Lata
Espetáculo 'Vira Lata'. Foto: divulgação.

Sobre o evento

“Bota a cara no sol” é uma expressão que se tornou viral nas redes sociais em 2015 e substituiu o bordão “sair do armário”. Em uma brincadeira virtual, milhares de pessoas gravaram vídeos para afirmação da identidade e, principalmente, da opção sexual. Além desse fato midiático, no espetáculo Bota a cara no sol, o bailarino e coreógrafo André Liberato apresenta seus questionamentos sobre o que é a “verdade” e as diferentes maneiras de apropriação dessa palavra. Para Nietzsche, por exemplo, a verdade é um ponto de vista. Mas para a filosofia de René Descartes, a certeza é o critério da verdade. Já para Aristóteles, uma frase é verdadeira quando diz que “o que é é” ou que “o que não é não é”. Liberato, por sua vez, prendeu-se à verdade subjetiva, também chamada de verdade individual, derivada da lógica aristotélica, que diz que “a verdade de um nem sempre é a verdade do outro, por isso, verdade não é realidade, mas o modo como uma pessoa vê o mundo.” Sob a luz das questões de gênero e envolto pelo movimento da pop art, o solo questiona os grupos que se sentem proprietários de uma certeza absoluta e se julgam capazes de guiar pessoas obedientes e sem voz própria.

Já o termo “vira lata” significa “animais sem raça definida”. Essa expressão deriva do fato de muitos desses animais, quando abandonados, serem vistos andando famintos pelas ruas, revirando latas de resíduos a procura de algum tipo de alimento. No solo Vira Lata, o bailarino e coreógrafo Tiago Oliveira faz uma analogia dessa situação com a desigualdade social: na ausência de seus direitos cívicos, o ser humano é tratado como bicho. A corda e a focinheira, utilizadas como elementos cênicos, fazem alusão ao controle imposto pelo sistema social em que vivemos. O espetáculo apresenta uma reflexão social, demonstrando as diferenças de classe e a existência de pessoas excluídas.

A apresentação faz parte do projeto Plurais de Dança. Contemplada no Edital de Ocupação da Sala Renée Gumiel 2017, a proposta apresenta uma programação variada, com espetáculos adultos e infantojuvenis, oficinas, performances e jam sessions. A temporada se estende até o dia 29 de outubro.

Espetáculo adulto: Bota a cara no sol e Vira Lata
Dias 21 e 22 de outubro | Sábado, às 19h, e domingo, às 18h
Ingressos: R$ 10 (meia-entrada: R$ 5) – Cartões não são aceitos
A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.
Duração: 60 minutos.
Classificação etária: livre.

Ficha Técnica (Bota a cara no sol):
Criador intérprete: André Liberato | Trilha sonora: André Liberato | Direção dramatúrgica e iluminação: Thiago Piquet | Figurino: Fabiana Nunes | Ilustrações: Giovani Tozi

Ficha Técnica (Vira Lata):
Criador intérprete: Tiago Oliveira

Projeto Plurais de Dança
Contemplado no Edital de Ocupação da Sala Renée Gumiel 2017

Complexo Cultural Funarte SP
(Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos)

Mais informações:
(11) 3662-5177
funartesp@gmail.com

Dia: 21 de outubro de 2017 Horário: 19:00 às 20:00 Local: Complexo Cultural Funarte SP. Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos.