Espetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialAgenda CulturalTeatroEspetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio

Agenda Cultural / Teatro

Espetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio

Publicado em 10 de maio de 2018 Imprimir Aumentar fonte
Rinocerontes – Divulgação
Rinocerontes – Divulgação

Sobre o evento

O Coletivo Errante apresenta, a partir de 3 de maio, no Teatro Dulcina, no Centro do Rio, o premiado espetáculo rINOCERONTEs. Com direção de Luiza Rangel e orientação de Eleonora Fabião, a peça, baseada na obra do dramaturgo Eugène Ionesco, é composta por jogos que invertem alógica cotidiana da cena. No palco, oito atores investigam corpo, transformação, imagem, monstruosidade e absurdo após um rinoceronte invadir a cidade e desencadear uma série de estranhas metamorfoses, em que os seres humanos se transformam em bichos selvagens. O espetáculo fica em cartaz até o dia 3 de junho, de quarta a domingo, às 19h.

Destaque no circuito universitário, rINOCERONTEs conquistou o Prêmio Yan Michalski (Questão de Crítica) nas categorias Ator (Davi Palmeira) e Especial (Arte Sonora); e foi o vencedor também do Festival Internacional de Teatro de Blumenau – FITUB – nas categorias Espetáculo, Direção, Ator (André Locatelli e Davi Palmeira) e Desenho Sonoro.

A montagem investiga a dramaturgia de Eugène Ionesco, criando diálogos com o momento atual. O texto é dos anos 1960, uma época marcada por uma forte disseminação de regimes totalitários na Europa. Segundo relatos, o autor escreveu a obra quando um grande número de colegas aderiu a movimentos fascistas.

A diretora Luiza Rangel considera o texto bastante atual por tratar de temas como a manipulação da informação e a proliferação de discursos de ódio. “Não é na passagem do rinoceronte pela cidade, ou mesmo na metamorfose, que reside o absurdo. É na desumanização devastadora que se revela na construção da cena e na evolução do espetáculo. Muita coisa aconteceu no Brasil, politicamente falando, nos últimos anos. Quais são os rinocetontes da nossa atualidade?”, questiona a diretora. “Mergulhamos no Ionesco observando as imposições invisíveis de controle, a intensa massificação, a guerra de informações e a priorização do objeto em detrimento do humano. O desejo, nesta montagem, é despertar reflexões sobre regimes de relação e de convívio”, completa.

Leia mais

Ficha Técnica
Autor: Eugène Ionesco
Direção: Luiza Rangel
Orientação: Eleonora Fabião
Assistência de direção: Mika Makino
Elenco: André Locatelli, Davi Palmeira, Giulia Grandis, Hugo Camizão, João Vitor Novaes, Livs Ataíde, Marina Nagib, Tamires Nascimento (stand-in) e Thiago Mello
Dramaturgista: Renan Guedes
Arte sonora: José Ricardo Neto e João Werneck
Direção de Arte: Marcela Cantaluppi
Cenografia: Fabiana Mimura
Figurino: Thainá Moura
Orientação de cenário e figurino: Renato Machado
Iluminação: Lívs Ataíde e Daniel Cintra
Preparação vocal: Verônica Machado
Projeto gráfico: Davi Palmeira
Vídeo: Humberto Giancristofaro e Laura Magalhães
Assessoria de imprensa: Catharina Rocha – Máquina de escrever comunicação
Produção: Coletivo Errante e Tem Dendê! Produções
Administração de temporada: Ana Paula Gomes e Mariah Valeiras
Realização: Coletivo Errante e UFRJ

Serviço

rINOCERONTEs
Temporada: de 3 de maio a 3 de junho, quarta a domingo, às 19h

Duração: 80 minutos
Classificação indicativa: 14 anos

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Dias: De 16 de maio a 20 de maio de 2018 Horário: 19:00 às 20:20 Local: Teatro Dulcina - Rua Alcindo Guanabara 17, Centro – Rio de Janeiro (RJ) Veja como chegar: Mapa do espaço cultural Amplie o mapa