Início do conteúdo
Agenda Espetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio

Agenda cultural

Publicado em 10 de maio de 2018

Espetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio

Espetáculo ‘rINOCERONTEs’ no Teatro Dulcina, no Rio

O Coletivo Errante apresenta, a partir de 3 de maio, no Teatro Dulcina, no Centro do Rio, o premiado espetáculo rINOCERONTEs. Com direção de Luiza Rangel e orientação de Eleonora Fabião, a peça, baseada na obra do dramaturgo Eugène Ionesco, é composta por jogos que invertem alógica cotidiana da cena. No palco, oito atores investigam corpo, transformação, imagem, monstruosidade e absurdo após um rinoceronte invadir a cidade e desencadear uma série de estranhas metamorfoses, em que os seres humanos se transformam em bichos selvagens. O espetáculo fica em cartaz até o dia 3 de junho, de quarta a domingo, às 19h.

Destaque no circuito universitário, rINOCERONTEs conquistou o Prêmio Yan Michalski (Questão de Crítica) nas categorias Ator (Davi Palmeira) e Especial (Arte Sonora); e foi o vencedor também do Festival Internacional de Teatro de Blumenau – FITUB – nas categorias Espetáculo, Direção, Ator (André Locatelli e Davi Palmeira) e Desenho Sonoro.

A montagem investiga a dramaturgia de Eugène Ionesco, criando diálogos com o momento atual. O texto é dos anos 1960, uma época marcada por uma forte disseminação de regimes totalitários na Europa. Segundo relatos, o autor escreveu a obra quando um grande número de colegas aderiu a movimentos fascistas.

A diretora Luiza Rangel considera o texto bastante atual por tratar de temas como a manipulação da informação e a proliferação de discursos de ódio. “Não é na passagem do rinoceronte pela cidade, ou mesmo na metamorfose, que reside o absurdo. É na desumanização devastadora que se revela na construção da cena e na evolução do espetáculo. Muita coisa aconteceu no Brasil, politicamente falando, nos últimos anos. Quais são os rinocetontes da nossa atualidade?”, questiona a diretora. “Mergulhamos no Ionesco observando as imposições invisíveis de controle, a intensa massificação, a guerra de informações e a priorização do objeto em detrimento do humano. O desejo, nesta montagem, é despertar reflexões sobre regimes de relação e de convívio”, completa.

Leia mais

Ficha Técnica
Autor: Eugène Ionesco
Direção: Luiza Rangel
Orientação: Eleonora Fabião
Assistência de direção: Mika Makino
Elenco: André Locatelli, Davi Palmeira, Giulia Grandis, Hugo Camizão, João Vitor Novaes, Livs Ataíde, Marina Nagib, Tamires Nascimento (stand-in) e Thiago Mello
Dramaturgista: Renan Guedes
Arte sonora: José Ricardo Neto e João Werneck
Direção de Arte: Marcela Cantaluppi
Cenografia: Fabiana Mimura
Figurino: Thainá Moura
Orientação de cenário e figurino: Renato Machado
Iluminação: Lívs Ataíde e Daniel Cintra
Preparação vocal: Verônica Machado
Projeto gráfico: Davi Palmeira
Vídeo: Humberto Giancristofaro e Laura Magalhães
Assessoria de imprensa: Catharina Rocha – Máquina de escrever comunicação
Produção: Coletivo Errante e Tem Dendê! Produções
Administração de temporada: Ana Paula Gomes e Mariah Valeiras
Realização: Coletivo Errante e UFRJ

Serviço

rINOCERONTEs
Temporada: de 3 de maio a 3 de junho, quarta a domingo, às 19h

Duração: 80 minutos
Classificação indicativa: 14 anos

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)