Início do conteúdo
Agenda ‘Cinema Guarany’ – show de Eliana Printes – Sala Funarte (RJ)

Agenda cultural

Publicado em 8 de novembro de 2012

‘Cinema Guarany’ – show de Eliana Printes – Sala Funarte (RJ)

‘Cinema Guarany’ – show de Eliana Printes – Sala Funarte (RJ) Eliana Printes

Lançamento do CD

A cantora e compositora foi apontada como “uma das melhores vozes da MPB, surgidas nos últimos tempos”, pelo crítico de música Mauro Ferreira, do jornal O Dia (Rio de Janeiro). A artista voltou da Europa há pouco tempo, onde se apresentou no Museu dos Instrumentos dos Povos do Mundo, na Áustria, e em concerto com a Orquestra Sinfônica de Potsdam, na Alemanha. O disco tem dez faixas, sendo seis autorais e duas regravações. Eliana sobe palco da Sala Funarte acompanhada pelos músicos Francisco Falcon (baixo acústico/ violoncelo) e Adonay Pereira (violões).

A música “Só vou gostar de quem gosta de mim”, de Rossini Pinto, gravada pela cantora, entrou na trilha sonora do filme “Qualquer Gato Vira-lata”, do diretor Tomás Portela. Eliana tem sete CDs lançados, duas coletâneas e várias compilações, publicados no Brasil e no exterior. Entre estes trabalhos, destaca-se o CD “Divas cantam Jobim” – lançado na Europa por uma gravadora portuguesa, para homenagear o maestro brasileiro Antonio Carlos Jobim – em que Eliana participa com a música “Insensatez”, de Jobim. A artista se define como “essencialmente brasileira, de cantar verde e amarelo”.

No show, que faz parte do projeto Música na Cidade, realizado pela Funarte, Eliana aponta como destaques as músicas “A cidade e o luar” , “Preciso de você”, “ Estou bem” e “Anjo de Prata” – todas sua autoria, em parceria com Adonay Pereira; além de “Amazonas” – de João Donato e Lysias Enio; e “Festa” – de Sergio Souto. Os arranjos são de Adonay Pereira e Julinho Teixeira. O repertório traz, ainda, canções de trabalhos anteriores, que foram tocadas em várias emissoras de rádio, como “Os presentes”, de Kleber Albuquerque; “ Se chovesse você”, de Adonay Pereira/Eliana Printes /Eliakim Rufino; “Só vou gostar de quem gosta de mim”, de Rossini Pinto; “Crepúsculo de uma deusa”, de Mona Gadelha; “Da Laia do Lama”, de Antonio Villeroy; “O trem da juventude”, de Herbert Vianna; “ Venha ser meu sol” e “Perdi a conta” de Adonay Pereira, em parceria com a própria Eliana; “Pra eu parar de me doer”, de Milton Nascimento e Fernando Brant; e “A distancia”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

Eliana Printes nasceu em Manaus (AM). Canta desde menina, influenciada pelo rádio, pelos discos do pai e pela própria natureza amazônica: “Quando criança, costumava ouvir o vento, passando pela copa das árvores e o som da chuva sobre as águas dos rios”, lembra. Começou a tocar violão profissionalmente já aos 13 anos de idade. Entre seus compositores favoritos estavam Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, Paulinho da Viola, Maria Betânia, Elis Regina e Gal Costa. Ainda jovem, teve contato com as músicas de Pixinguinha, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Vinícius de Moraes e Tom Jobim, entre outros.

Projeto Música na Cidade

Show de lançamento do CD “Cinema Guarany”

Ingressos: R$ 20. Meia-entrada: R$ 10
Bilheteria: a partir das 17h

Classificação etária: A partir de 12 anos