Escola Nacional de Circo

Escola Nacional de Circo

Sobre a Escola Nacional de Circo

A Escola Nacional de Circo (ENC), da Fundação Nacional de Artes – Funarte, está localizada na Praça da Bandeira, Zona Norte do Rio de Janeiro. É referência para toda a América Latina no campo da formação em Circo.

A partir do princípio de que a construção do conhecimento é dinâmica e se renova sempre, a Escola tem mantido diálogo com a produção pedagógica e artística presente no mundo circense – já que esta atividade artística também tem como característica marcante a intensa mutação, impulsionada pela evolução das áreas tecnológica, instrumental e gerencial.

A ENC prepara artistas profissionais, não apenas para atuar em circos itinerantes de lona, mas também nos mais diferentes setores da artes e segmentos culturais. Acesse aqui o Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Arte Circense.

Também faz parte fundamental dessa proposta formar cidadãos, com a perspectiva de contribuir para o desenvolvimento de sua visão cultural, estimulando a que eles empreguem seu senso crítico e sua criatividade em relação aos mais diversos campos da produção artística, de modo livre e consciente.

Criada pelo circense Luiz Olimecha e pelo produtor cultural Orlando Miranda, a Escola foi inaugurada em 1982.

Vínculos internacionais

Por décadas, a Escola Nacional de Circo desenvolveu competência para a internacionalização de suas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Várias instituições estrangeiras colaboraram, de diferentes maneiras, para a construção deste processo, entre as quais: Institut Français, Pôle National des Arts du Cirque /Creac/Archaos (França), Pôle National Cirque et Arts de la Rue Cirque d’Amiens (França), Institut National des Arts du Music-Hall (França), Academie Fratellini (França), La Grainerie (França), National Centre for Circus Arts (Inglaterra), École Superieure des Arts du Cirque (Bélgica), Swissnex Brazil (Suiça), Cirque du Soleil (Canadá), École Nationale du Cirque (Canadá), Instituto Nacional de Artes do Circo (Portugal), Escola de Circo do Chapitô (Portugal), Escuela La Carampa de Circo (Espanha), Central Del Circ (Espanha), FLIC Scuola Di Circo Torino (Itália), Universidad Nacional de San Martin (Argentina), Escuela Municipal de Artes Urbanas Rosario (Argentina), El Circo Del Mundo (Chile) e Circo Social Quito (Equador).

Curso reconhecido pelo MEC

A partir de uma parceria institucional entre a Funarte e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), vinculado ao Ministério da Educação, o Curso Técnico em Arte Circense da Escola Nacional de Circo foi reconhecido oficialmente pelo MEC como curso técnico, por meio da Resolução IFRJ nº 11, de 2 de abril de 2015 (acesse-a nesta página, no Projeto). O fato configura o reconhecimento pedagógico do programa de formação da ENC. Esse curso atende à crescente demanda por profissionais capazes de trabalhar nos diversos setores e segmentos culturais que envolvem as artes do circo, tais como: espetáculos performáticos; festivais e eventos culturais em geral; e circos. A duração é de quatro semestres letivos (cada um com 100 dias letivos), num total de 2.798 horas-aula. O “eixo tecnológico” no qual o curso está inserido é “Produção Cultural e Design”.

Corpo docente e metodologia

O corpo docente da Escola Nacional de Circo da Funarte é composto de profissionais circenses tem basicamente três origens: o circo tradicional; a formação na própria ENC; ou a graduação em outras escolas circenses com renome internacional.

A experiência didática na prática de ensino das técnicas do circo originou uma metodologia própria da instituição, que vem sendo aperfeiçoada ao longo do tempo. Às disciplinas ministradas foram acrescentadas ao currículo outras (dança, teatro, preparação corporal, pesquisa circense, elaboração de projetos, história do circo e introdução à anatomia). Também são oferecidas aulas de preparação corporal, teatro e dança – todas direcionadas às artes circenses.

Instalações

O terreno ocupado pela Escola tem sete mil metros quadrados. Abriga uma lona de quatro mastros, com 50 metros de diâmetro e capacidade para 1200 espectadores. O espaço possui um moderno galpão multifuncional de treinamentos circenses, salas de aula e de dança, auditório, musculação, fisioterapia, refeitório, oficina para confecção e conserto de aparelhos, além de biblioteca multimídia e salas para a administração.

Curso Técnico em Arte Circense – disciplinas

O Curso Técnico em Arte Circense é oferecido na modalidade presencial e integral, nas dependências da Escola Nacional de Circo. Inclui serviço gratuito de alimentação e bolsa de estudos para todos os alunos.

A equipe pedagógica da ENC ministra disciplinas conforme os seguintes grupos de modalidades circenses:

a) Acrobacias: acrobacias de solo (saltos), paradas, contorção, mastro chinês, canastilha, cadeiras, maca russa, barras russas, báscula, mini-tramp, trampolim acrobático, dândis, adágio, antipodismo (icários), portagens e mão-a-mão.
b) Acrobacias aéreas: trapézio (de voos, simples e duplo, de um ponto fixo e em balanço), quadrante, quadrante coreano, corda (indiana, dupla, marinha e lisa), tecido, tecido marinho, lira e faixa.
c) Equilíbrios: antipodismo (tranca), bola, cadeiras, perna-de-pau, escada, percha de ombro, monociclo, rola-rola, arame (baixo e alto), roda cyr, roda alemã e corda bamba.
d) Manipulação de objetos: Malabares com claves, aros, bolas, diabolô e bola de contato.

O fluxograma do curso pode ser consultado neste link.

Devido ao sucesso de seu programa de bolsas, o Curso Técnico em Artes Circenses possibilita que alunos de todas as regiões do Brasil e alunos estrangeiros se qualifiquem. Veja o perfil da turma 2017-2019, neste link.

Admissão

A admissão na ENC se dá por concurso público. A seleção tem como base a análise de habilidades circenses, condicionamento físico, desempenho artístico, aptidões acrobáticas e checagem de documentação. Estão aptos a participar do processo seletivo cidadãos com idade igual ou superior a 18 anos completos (considerada a data de inscrição), que tiverem concluído o ensino médio (ou equivalente) até a data da matrícula no curso. Os candidatos podem ser brasileiros, natos ou naturalizados, e estrangeiros.

A prova é dividida em quatro etapas:

1ª – Habilitação;
2ª – Avaliação Preliminar;
3ª – Avaliação Presencial; e
4ª – Análise da Documentação Complementar.

Acesse abaixo:

O gráfico da procedência dos alunos
O Projeto Pedagógico do Curso Técnico em Arte Circense
O fluxograma do curso

Contatos

E-mail – escola.circo@funarte.gov.br
Tels. – 21 2504-5320

Endereço

Rua Elpídio Boamorte, S/Nº – Praça da Bandeira – Rio de Janeiro – RJ
CEP: 20270-170