Início do conteúdo
Notícias Festival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio

Funarte Notícias

Publicado em 20 de setembro de 2018

Festival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio

A Funarte, como representante do Brasil no Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas, apoia o projeto

Festival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio Sétima edição do festival acontece no Rio – Divulgação

O espetáculo A criação do mundo estreia na próxima quinta-feira, dia 27 de setembro, às 18h30, no Sesc Copacabana, na Zona Sul do Rio. A montagem faz parte da sétima edição do Esse Monte de Mulher Palhaça – Festival Internacional de Comicidade Feminina que vai apresentar, nos palcos cariocas, uma série de espetáculos, performances, debates, oficinas e exibição de filme, até o dia 30 de setembro.

O festival, realizado pela Cia. As Marias da Graça, foi contemplado no programa Iberescena 2018 – Apoio a Festivais Ibero-americanos de Artes Cênicas. A Funarte é a instituição que representa o Brasil nesse programa, composto por 14 países.

A diversidade é o tema da programação deste ano, que apresenta uma novidade, o Cabaré Queer, para celebrar os 13 anos do evento. Mais de 30 atrações estão na agenda do festival e são comandadas por atrizes-palhaças do Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Pará, Santa Catarina, Rio grande do Sul, Maranhão, Distrito Federal e Bahia) e do México, Venezuela, Colômbia, Uruguai, Argentina, Equador e França.

As apresentações dos espetáculos e dos cabarés (performances) são realizadas no Sesc Copacabana, na Zona Sul, e também na Casa França Brasil, no Centro do Rio. Os ingressos são R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia-entrada / lista amiga) e R$ 7,50 (com a carteirinha do Sesc). As mesas de debates e a exibição de filme têm entrada gratuita.

Na programação, a palhaça Ruth Mezeck, com mais de 80 anos, apresenta o solo A mulher aquela, onde aborda com humor a invisibilidade do idoso na sociedade e a forma infantilizada com que são tratados. Já a palhaça Birita, que nasceu com paralisia cerebral, conduz a palestra-show Muros e grades são invenções humanas, onde conta como aprendeu a lidar com as suas limitações e incentiva o espectador a não superproteger a criança ou a pessoa com deficiência.

Na peça Nem uma a menos, inspirada na campanha contra o feminicídio, que ganhou as redes sociais em 2015, a palhaça Ternurinha consegue provar com sua matemática singular que “uma” nem sempre é “uma”. Outro espetáculo que merece destaque, segundo as organizadoras, é o Cabaré Queer. A montagem leva ao palco performances burlescas, de drag queens e palhaças.

Entre as atrações internacionais, destacam-se a palhaça mexicana Atanasia, que abre o evento com o solo A criação do mundo, onde conta a história de como o mundo foi criado a partir da ótica de uma palhaça; da Colômbia, vem a palhaça Diana, que traz a performance Branca de Neve politicamente incorreta. A montagem é uma versão da história da personagem Branca de Neve narrada por uma palhaça, evidenciando que “os contos de fadas não são tão de fadas assim”.

Na seção de cinema, é exibido o curta-metragem Síndrome de Clown, dirigido por Norlan Silva. O filme vem seguido do debate Palhaçaria e saúde mental, com as palhaças Karla Concá, Cris Muñoz e Ariadne Antico. O filme de 15 minutos, produzido para o canal Futura, revela como as técnicas da palhaçaria melhoraram a sociabilização de uma jovem portadora da síndrome de Down, chamada Lígia.

Com o intuito de fomentar a discussão sobre a mulher-palhaça no meio acadêmico, o grupo As Marias da Graça promove, pela primeira vez, a conversa Palhaças na Academia. Esse debate vem seguido da exibição do filme Palhaças no Mundo.  A mesa tem como objetivo debater aspectos sociais, culturais e políticos relacionados à atuação da mulher na palhaçaria, a partir das pesquisas realizadas por mulheres-palhaças acadêmicas.  Três oficinas de palhaçaria também integram a programação do festival.

Sobre o Iberescena

O Iberescena é composto pelos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai, e pela Secretaria Geral Ibero-americana (Segib) e pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid). O fundo tem por missão promover o circo, a dança e o teatro ibero-americanos, através do incentivo a trocas de informações e conhecimentos, além de outros intercâmbios artísticos entre os países-membros.

Leia mais sobre o Iberescena aqui

Sobre o Esse Monte de Mulher Palhaça – Festival Internacional de Comicidade Feminina

O festival foi criado em 2005 a partir da inquietação e da necessidade de ampliar o reconhecimento da palhaçaria feminina no Brasil. O primeiro festival internacional de comicidade feminina realizado no país e o terceiro no mundo. O evento é idealizado e realizado pela Cia. As Marias da Graça — primeiro grupo de mulheres palhaças do Brasil. Desde o ano de 1990, a Cia. luta pelo empoderamento feminino na arte e na vida. O grupo é formado pelas cariocas, atrizes e palhaças, Geni Viegas, Karla Concá, Samantha Anciães e Vera Ribeiro.

Serviço:

Festival Esse monte de mulher palhaça

Temporada: de 27 a 30 de setembro

Ingressos para espetáculos e cabarés (performances): R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia-entrada) e R$ 7,50 (carteirinha do Sesc)

Mesa de debates e exibição de filmes: entrada gratuita

Oficinas: informações e inscrições pelo e-mail oficinasessemonte@gmail.com

Locais:

Sesc Copacabana
Rua Domingues Ferreira, 160 – Copacabana – Rio de Janeiro
Tel.: 2548-1088

Casa França Brasil
Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro – Rio de Janeiro
Tel.: 2332-5275

Programação:

Dia 27 de setembroSesc Copacabana
18h30 – A Criação do Mundo,  com Dorina Robles Pérez e palhaça Atanasia (México)
20h30 – Cabaré: números diversos com a mestre de cerimônia Clara Lopez (Equador)

Dia 28 de setembroSesc Copacabana
14h – Palestra As palhaças: quais (r)evoluções?, com Delphine Cezard (França)
14h45 – Conversa Palhaças na Academia. Após o debate, exibição do filme “Palhaças no Mundo” e do curta Achei o meu nariz. Na sequência, sessão de autógrafos do livro O clown visitador, de Ana Wuo (Uberlândia)
18h30 – Travessias, com Lily Curcio  (Argentina)
20h30 – A mulher aquela, com Ruth Mezeck (Rio Grande do Sul)

Dia 29 de setembroSesc Copacabana
15h30 – Palestra-show Muros e grades são invenções humanas, com Ariadne Antico (São Paulo)
16h20 (Sala Arpoador) – Exibição do curta-metragem Síndrome de Clown. Após, debate Palhaçaria e saúde mental, com Karla Concá, Cris Muños e Ariadne Antico
18h30 – Nem uma a menos, com Tefa Polidoro (Rio Grande do Sul)
19h50 – Branca de Neve politicamente incorreta, com Diana Bolaños (Colômbia)
20h30 – Cabaré Queer (performances burlescas, drag queens e palhaças) com o mestre de cerimônia Emanuel Santos

Dia 30 de setembro
Casa França Brasil
10h –Trampos e trapaças, com a Cia do Solo (Rio de Janeiro)
12h – Show da Percha, com a Cia. Circo do Asfalto (São Paulo)
Entre Ato com Será o Benedito? (Rio de Janeiro)
13h – Magnus, com Cia La Curva (Argentina e Santa Catarina)

Sesc Copacabana
18h30 – Querem Caferem, com Romana Melo (Pará)
19h40 – Inpress, com Circo di SoLadies (São Paulo)
20h30 – Cabaré das Veterenas: números diversos com a mestre de cerimônias, a Cia. As Marias das Graças

Oficinas – Sesc Copacabana
Inscrições e informações: oficinasessemonte@gmail.com

A melhor história é aquela que contamos sobre nós mesmas, com Fran Marinho (São Paulo)
Horário: 14h às 16h
Onde: Sala Leblon
Público alvo: iniciantes na arte da palhaçaria
20 vagas

A garota que me pariu, com o bufão Tefa Polidoro (Porto Alegre)
Horário: 10h às 12h
Onde: Sala Leblon
Público alvo: artistas e comunidade em geral
15 vagas

Desafios na circulação de espetáculos e curadoria de festivais de mulheres, com Marcelo Bones (Minas Gerais)
Horário: 13h às 17h30
Onde: Sala Leblon
Público alvo: grupos ou produtores profissionais
Vagas: até 15 grupos (com dois representantes de cada)

Ficha Técnica

Realização: As Marias da Graça Associação de Mulheres Palhaças
Idealização :  As Marias da Graça (Geni Viegas, Karla Concá, Samantha Anciães e Vera Ribeiro)
Curadoria: Karla Concá, Samantha Anciães e Ana Borges
Direção de produção : Samantha Anciães
Direção artística: Karla Concá
Coordenação de receptivo, captação de apoios e organização de equipe técnica: Geni Viegas
Relações internacionais: Ana Borges
Direção de cena: Marcelo Mattos
Coordenação de luz: Brisa Lima
Coordenação de som: Lyria Gimenez
Identidade Visual: Paula Grangeiro
Design gráfico: Ana Oliveira
Fotógrafa: Mariana Rocha
Parceria: Sesc Rio e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro

Projeto contemplado no Iberescena 2018 Apoio a Festivais Ibero-americanos de Artes Cênicas. A Funarte é a instituição que representa o Brasil no programa.