Festival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página Inicial › Funarte › Todas as notíciasFestival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio

Festival ‘Esse monte de mulher palhaça’, contemplado no Iberescena, faz curta temporada no Rio

A Funarte, como representante do Brasil no Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-americanas, apoia o projeto

Relacionado a: Circo, Dança, Teatro
Publicado em 20 de setembro de 2018 Imprimir Aumentar fonte
Sétima edição do festival acontece no Rio – Divulgação
Sétima edição do festival acontece no Rio - Divulgação

O espetáculo A criação do mundo estreia na próxima quinta-feira, dia 27 de setembro, às 18h30, no Sesc Copacabana, na Zona Sul do Rio. A montagem faz parte da sétima edição do Esse Monte de Mulher Palhaça – Festival Internacional de Comicidade Feminina que vai apresentar, nos palcos cariocas, uma série de espetáculos, performances, debates, oficinas e exibição de filme, até o dia 30 de setembro.

O festival, realizado pela Cia. As Marias da Graça, foi contemplado no programa Iberescena 2018 – Apoio a Festivais Ibero-americanos de Artes Cênicas. A Funarte é a instituição que representa o Brasil nesse programa, composto por 14 países.

A diversidade é o tema da programação deste ano, que apresenta uma novidade, o Cabaré Queer, para celebrar os 13 anos do evento. Mais de 30 atrações estão na agenda do festival e são comandadas por atrizes-palhaças do Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Pará, Santa Catarina, Rio grande do Sul, Maranhão, Distrito Federal e Bahia) e do México, Venezuela, Colômbia, Uruguai, Argentina, Equador e França.

As apresentações dos espetáculos e dos cabarés (performances) são realizadas no Sesc Copacabana, na Zona Sul, e também na Casa França Brasil, no Centro do Rio. Os ingressos são R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia-entrada / lista amiga) e R$ 7,50 (com a carteirinha do Sesc). As mesas de debates e a exibição de filme têm entrada gratuita.

Na programação, a palhaça Ruth Mezeck, com mais de 80 anos, apresenta o solo A mulher aquela, onde aborda com humor a invisibilidade do idoso na sociedade e a forma infantilizada com que são tratados. Já a palhaça Birita, que nasceu com paralisia cerebral, conduz a palestra-show Muros e grades são invenções humanas, onde conta como aprendeu a lidar com as suas limitações e incentiva o espectador a não superproteger a criança ou a pessoa com deficiência.

Na peça Nem uma a menos, inspirada na campanha contra o feminicídio, que ganhou as redes sociais em 2015, a palhaça Ternurinha consegue provar com sua matemática singular que “uma” nem sempre é “uma”. Outro espetáculo que merece destaque, segundo as organizadoras, é o Cabaré Queer. A montagem leva ao palco performances burlescas, de drag queens e palhaças.

Entre as atrações internacionais, destacam-se a palhaça mexicana Atanasia, que abre o evento com o solo A criação do mundo, onde conta a história de como o mundo foi criado a partir da ótica de uma palhaça; da Colômbia, vem a palhaça Diana, que traz a performance Branca de Neve politicamente incorreta. A montagem é uma versão da história da personagem Branca de Neve narrada por uma palhaça, evidenciando que “os contos de fadas não são tão de fadas assim”.

Na seção de cinema, é exibido o curta-metragem Síndrome de Clown, dirigido por Norlan Silva. O filme vem seguido do debate Palhaçaria e saúde mental, com as palhaças Karla Concá, Cris Muñoz e Ariadne Antico. O filme de 15 minutos, produzido para o canal Futura, revela como as técnicas da palhaçaria melhoraram a sociabilização de uma jovem portadora da síndrome de Down, chamada Lígia.

Com o intuito de fomentar a discussão sobre a mulher-palhaça no meio acadêmico, o grupo As Marias da Graça promove, pela primeira vez, a conversa Palhaças na Academia. Esse debate vem seguido da exibição do filme Palhaças no Mundo.  A mesa tem como objetivo debater aspectos sociais, culturais e políticos relacionados à atuação da mulher na palhaçaria, a partir das pesquisas realizadas por mulheres-palhaças acadêmicas.  Três oficinas de palhaçaria também integram a programação do festival.

Sobre o Iberescena

O Iberescena é composto pelos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai, e pela Secretaria Geral Ibero-americana (Segib) e pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid). O fundo tem por missão promover o circo, a dança e o teatro ibero-americanos, através do incentivo a trocas de informações e conhecimentos, além de outros intercâmbios artísticos entre os países-membros.

Leia mais sobre o Iberescena aqui

Sobre o Esse Monte de Mulher Palhaça – Festival Internacional de Comicidade Feminina

O festival foi criado em 2005 a partir da inquietação e da necessidade de ampliar o reconhecimento da palhaçaria feminina no Brasil. O primeiro festival internacional de comicidade feminina realizado no país e o terceiro no mundo. O evento é idealizado e realizado pela Cia. As Marias da Graça — primeiro grupo de mulheres palhaças do Brasil. Desde o ano de 1990, a Cia. luta pelo empoderamento feminino na arte e na vida. O grupo é formado pelas cariocas, atrizes e palhaças, Geni Viegas, Karla Concá, Samantha Anciães e Vera Ribeiro.

Serviço:

Festival Esse monte de mulher palhaça

Temporada: de 27 a 30 de setembro

Ingressos para espetáculos e cabarés (performances): R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia-entrada) e R$ 7,50 (carteirinha do Sesc)

Mesa de debates e exibição de filmes: entrada gratuita

Oficinas: informações e inscrições pelo e-mail oficinasessemonte@gmail.com

Locais:

Sesc Copacabana
Rua Domingues Ferreira, 160 – Copacabana – Rio de Janeiro
Tel.: 2548-1088

Casa França Brasil
Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro – Rio de Janeiro
Tel.: 2332-5275

Programação:

Dia 27 de setembroSesc Copacabana
18h30 – A Criação do Mundo,  com Dorina Robles Pérez e palhaça Atanasia (México)
20h30 – Cabaré: números diversos com a mestre de cerimônia Clara Lopez (Equador)

Dia 28 de setembroSesc Copacabana
14h – Palestra As palhaças: quais (r)evoluções?, com Delphine Cezard (França)
14h45 – Conversa Palhaças na Academia. Após o debate, exibição do filme “Palhaças no Mundo” e do curta Achei o meu nariz. Na sequência, sessão de autógrafos do livro O clown visitador, de Ana Wuo (Uberlândia)
18h30 – Travessias, com Lily Curcio  (Argentina)
20h30 – A mulher aquela, com Ruth Mezeck (Rio Grande do Sul)

Dia 29 de setembroSesc Copacabana
15h30 – Palestra-show Muros e grades são invenções humanas, com Ariadne Antico (São Paulo)
16h20 (Sala Arpoador) – Exibição do curta-metragem Síndrome de Clown. Após, debate Palhaçaria e saúde mental, com Karla Concá, Cris Muños e Ariadne Antico
18h30 – Nem uma a menos, com Tefa Polidoro (Rio Grande do Sul)
19h50 – Branca de Neve politicamente incorreta, com Diana Bolaños (Colômbia)
20h30 – Cabaré Queer (performances burlescas, drag queens e palhaças) com o mestre de cerimônia Emanuel Santos

Dia 30 de setembro
Casa França Brasil
10h -Trampos e trapaças, com a Cia do Solo (Rio de Janeiro)
12h – Show da Percha, com a Cia. Circo do Asfalto (São Paulo)
Entre Ato com Será o Benedito? (Rio de Janeiro)
13h – Magnus, com Cia La Curva (Argentina e Santa Catarina)

Sesc Copacabana
18h30 – Querem Caferem, com Romana Melo (Pará)
19h40 – Inpress, com Circo di SoLadies (São Paulo)
20h30 – Cabaré das Veterenas: números diversos com a mestre de cerimônias, a Cia. As Marias das Graças

Oficinas – Sesc Copacabana
Inscrições e informações: oficinasessemonte@gmail.com

A melhor história é aquela que contamos sobre nós mesmas, com Fran Marinho (São Paulo)
Horário: 14h às 16h
Onde: Sala Leblon
Público alvo: iniciantes na arte da palhaçaria
20 vagas

A garota que me pariu, com o bufão Tefa Polidoro (Porto Alegre)
Horário: 10h às 12h
Onde: Sala Leblon
Público alvo: artistas e comunidade em geral
15 vagas

Desafios na circulação de espetáculos e curadoria de festivais de mulheres, com Marcelo Bones (Minas Gerais)
Horário: 13h às 17h30
Onde: Sala Leblon
Público alvo: grupos ou produtores profissionais
Vagas: até 15 grupos (com dois representantes de cada)

Ficha Técnica

Realização: As Marias da Graça Associação de Mulheres Palhaças
Idealização :  As Marias da Graça (Geni Viegas, Karla Concá, Samantha Anciães e Vera Ribeiro)
Curadoria: Karla Concá, Samantha Anciães e Ana Borges
Direção de produção : Samantha Anciães
Direção artística: Karla Concá
Coordenação de receptivo, captação de apoios e organização de equipe técnica: Geni Viegas
Relações internacionais: Ana Borges
Direção de cena: Marcelo Mattos
Coordenação de luz: Brisa Lima
Coordenação de som: Lyria Gimenez
Identidade Visual: Paula Grangeiro
Design gráfico: Ana Oliveira
Fotógrafa: Mariana Rocha
Parceria: Sesc Rio e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro

Projeto contemplado no Iberescena 2018 Apoio a Festivais Ibero-americanos de Artes Cênicas. A Funarte é a instituição que representa o Brasil no programa.