Início do conteúdo
Notícias Espetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza

Funarte Notícias

Publicado em 25 de outubro de 2018

Espetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza

Montagem, premiada pela Funarte, fala dos limites da vida, da arte e do corpo, a partir de uma experiência trágica vivida pela ex-ginasta Beatrice Martins

Espetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza

Contemplado no Prêmio Funarte para Circulação de Espetáculos Circenses, Por Um Triz será apresentado em diferentes espaços no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em Fortaleza. A estreia no DF é nos dias 27 e 29 de outubro, às 20h, no Sesc Gama. Em seguida, nos dias 30 de outubro e 1º de novembro, no mesmo horário, acontecem mais duas apresentações no Sesc Ceilândia. E, nos dias 10 e 11 de novembro, o espetáculo estará em cartaz no Espaço Cultural Renato Russo. Ainda em novembro, Por Um Triz será levado também ao Rio de Janeiro, na Arena Carioca Dicró, nos dias 17 e 18; e a Fortaleza, no CUCA Barra, no dia 20.

A montagem, do coletivo Instrumento de Ver, traz à cena memórias e relatos de um drama pessoal, superado através da arte, pela ex-ginasta da seleção brasileira Beatrice Martins. Em 1997, após um grave acidente de ônibus com a equipe de ginástica artística do Flamengo, da qual fazia parte, Beatrice teve sua carreira interrompida, se viu obrigada a repensar sua vida e se descobriu no circo, arte com a qual já se apresentou no Brasil e no exterior.

Hoje, aos 37 anos, apresenta Por Um Triz, onde fala sobre os limites da vida, da arte e do corpo. “É um espetáculo autobiográfico e metalinguístico, onde brinco com as condições de ex-ginasta, atual trapezista e as peculiaridades de um espetáculo de acrobacias aéreas. É sobre sonho e, também, sobre realidade”, explica Beatrice.

Com direção, dramaturgia e coreografias de Raquel Karro, a montagem coloca o circo em diálogo com outras linguagens, como a dança, o teatro e o audiovisual, e põe em evidência um elemento presente no circo e na vida: o risco da morte. “Esse risco pode ser metafórico, mas muitas vezes é real”.

A circulação do espetáculo conta com apoio do Prêmio Funarte para Circulação de Espetáculos Circenses 2018,  além do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. A realização é do Instrumento de Ver, um coletivo brasiliense de artistas independentes de formações e atuações diversas, com foco na pesquisa e produção nas relações entre as artes do circo, dança, teatro, música, fotografia e vídeo. O Coletivo, que surgiu em 2002, vem desenvolvendo projetos e parcerias com grande representatividade local e projeção nacional.

Beatrice Martins – Intérprete criadora
Acrobata desde os cinco anos, foi ginasta da Seleção Brasileira na adolescência, representando o país em campeonatos internacionais, incluindo os mundiais do Japão e Porto Rico, em 1995/96. Em Brasília, integrou as companhias Engenho Arte Circense e Nós No Bambu, como intérprete criadora dos espetáculos ULTRAPASSA! e TEIA – Paralaxes do Imaginário. Fez turnê pelos Estados Unidos com a UniverSoul Circus; e apresentou o número Beatriz na Academie Fratellini, pelo Laboratório Artístico Brasil/Europa, CircusNext – Jeunes Talents Cirque Europe, promovido pelo Festival Mundial de Circo do Brasil. Participou de outros festivais com as companhias que integrou, como o Festival Internacional da NOVADANÇA, o FIL – Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens, Cena Contemporânea, Mostra Zezito de Circo, Festival Internacional de Circo do Rio de Janeiro, Mostra Dança Aérea: Desafios da Leveza, CIRCOS – Festival Internacional Sesc de Circo, SESC FESTCLOWN, Festival Mulher Em Cena, o Festival Planeta Circo, dentre outros. Artista, produtora do coletivo Instrumento de Ver, formada em publicidade, se atreve a produzir e divulgar projetos artísticos, de vez em quando.

Sobre o espetáculo
Por Um Triz estreou no Teatro Plínio Marcos, do Complexo Cultural Funarte Brasília, em dezembro de 2015. A montagem foi realizada através do Prêmio Dulcina de Moraes 2014, do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal. Participou da 18ª edição do Festival Internacional da Novadança, no Espaço USINA, e Arranha-Céu – Festival de Circo Atual, na Funarte Brasília, ambos em 2016. EXUFRIDA, coreografia de dança acrobática que compõe o espetáculo, participou do Jogo de Cena no Teatro da Caixa; no MID – Movimento Internacional de Dança no CCBB-Brasília e no ¼ de Cena – Festival de Cenas Curtas, no SESC Garagem, em 2017.

Ficha técnica
Direção, coreografias e dramaturgia: Raquel Karro
Intérprete criadora: Beatrice Martins
Direção técnica, criação de aparelhos e participação especial: Daniel Lacourt
Assistência de direção: Julia Henning
Direção de vídeo e projeções: Cícero Fraga e COMOVA
Direção musical e trilha sonora original: Luiz Olivieri
Figurino e cenografia: Roustang Carrilho
Desenho de luz: Pedro Martins
Fotografias: João Saenger
Identidade visual: Bruna Daibert
Realização: Coletivo Instrumento de Ver

Serviço:

Por Um Triz

Distrito Federal (DF)

27 e 29 de outubro
Sesc Gama
Setor Leste Industrial, Lotes 620 a 680 – QI 1

31 de outubro e 1º de novembro
Sesc Ceilândia
QNN 27 – Área Especial S/N – Ceilândia Norte

10 e 11 de novembro
Espaço Cultural Renato Russo
Asa Sul Comércio Residencial Sul 508

Rio de Janeiro (RJ)

17 e 18 de novembro
Arena Carioca Dicró

Fortaleza (CE)

20 de novembro
CUCA Barra

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Obs.: As sessões dos dias 27 de outubro, no Gama, e 31 de outubro, em Ceilândia, contarão com tradução em LIBRAS e serão seguidas por bate-papo dos criadores do espetáculo com a plateia.

Duração do espetáculo: 50 minutos

Classificação indicativa: Livre

Saiba mais