Espetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialCircoTodas as notíciasEspetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza

Espetáculo ‘Por Um Triz’ será apresentado no Distrito Federal, no Rio e em Fortaleza

Montagem, premiada pela Funarte, fala dos limites da vida, da arte e do corpo, a partir de uma experiência trágica vivida pela ex-ginasta Beatrice Martins

Publicado em 25 de outubro de 2018 Imprimir Aumentar fonte
Espetáculo ‘Por Um Triz’
Espetáculo ‘Por Um Triz’

Contemplado no Prêmio Funarte para Circulação de Espetáculos Circenses, Por Um Triz será apresentado em diferentes espaços no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e em Fortaleza. A estreia no DF é nos dias 27 e 29 de outubro, às 20h, no Sesc Gama. Em seguida, nos dias 30 de outubro e 1º de novembro, no mesmo horário, acontecem mais duas apresentações no Sesc Ceilândia. E, nos dias 10 e 11 de novembro, o espetáculo estará em cartaz no Espaço Cultural Renato Russo. Ainda em novembro, Por Um Triz será levado também ao Rio de Janeiro, na Arena Carioca Dicró, nos dias 17 e 18; e a Fortaleza, no CUCA Barra, no dia 20.

A montagem, do coletivo Instrumento de Ver, traz à cena memórias e relatos de um drama pessoal, superado através da arte, pela ex-ginasta da seleção brasileira Beatrice Martins. Em 1997, após um grave acidente de ônibus com a equipe de ginástica artística do Flamengo, da qual fazia parte, Beatrice teve sua carreira interrompida, se viu obrigada a repensar sua vida e se descobriu no circo, arte com a qual já se apresentou no Brasil e no exterior.

Hoje, aos 37 anos, apresenta Por Um Triz, onde fala sobre os limites da vida, da arte e do corpo. “É um espetáculo autobiográfico e metalinguístico, onde brinco com as condições de ex-ginasta, atual trapezista e as peculiaridades de um espetáculo de acrobacias aéreas. É sobre sonho e, também, sobre realidade”, explica Beatrice.

Com direção, dramaturgia e coreografias de Raquel Karro, a montagem coloca o circo em diálogo com outras linguagens, como a dança, o teatro e o audiovisual, e põe em evidência um elemento presente no circo e na vida: o risco da morte. “Esse risco pode ser metafórico, mas muitas vezes é real”.

A circulação do espetáculo conta com apoio do Prêmio Funarte para Circulação de Espetáculos Circenses 2018,  além do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. A realização é do Instrumento de Ver, um coletivo brasiliense de artistas independentes de formações e atuações diversas, com foco na pesquisa e produção nas relações entre as artes do circo, dança, teatro, música, fotografia e vídeo. O Coletivo, que surgiu em 2002, vem desenvolvendo projetos e parcerias com grande representatividade local e projeção nacional.

Beatrice Martins – Intérprete criadora
Acrobata desde os cinco anos, foi ginasta da Seleção Brasileira na adolescência, representando o país em campeonatos internacionais, incluindo os mundiais do Japão e Porto Rico, em 1995/96. Em Brasília, integrou as companhias Engenho Arte Circense e Nós No Bambu, como intérprete criadora dos espetáculos ULTRAPASSA! e TEIA – Paralaxes do Imaginário. Fez turnê pelos Estados Unidos com a UniverSoul Circus; e apresentou o número Beatriz na Academie Fratellini, pelo Laboratório Artístico Brasil/Europa, CircusNext – Jeunes Talents Cirque Europe, promovido pelo Festival Mundial de Circo do Brasil. Participou de outros festivais com as companhias que integrou, como o Festival Internacional da NOVADANÇA, o FIL – Festival Internacional de Intercâmbio de Linguagens, Cena Contemporânea, Mostra Zezito de Circo, Festival Internacional de Circo do Rio de Janeiro, Mostra Dança Aérea: Desafios da Leveza, CIRCOS – Festival Internacional Sesc de Circo, SESC FESTCLOWN, Festival Mulher Em Cena, o Festival Planeta Circo, dentre outros. Artista, produtora do coletivo Instrumento de Ver, formada em publicidade, se atreve a produzir e divulgar projetos artísticos, de vez em quando.

Sobre o espetáculo
Por Um Triz estreou no Teatro Plínio Marcos, do Complexo Cultural Funarte Brasília, em dezembro de 2015. A montagem foi realizada através do Prêmio Dulcina de Moraes 2014, do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal. Participou da 18ª edição do Festival Internacional da Novadança, no Espaço USINA, e Arranha-Céu – Festival de Circo Atual, na Funarte Brasília, ambos em 2016. EXUFRIDA, coreografia de dança acrobática que compõe o espetáculo, participou do Jogo de Cena no Teatro da Caixa; no MID – Movimento Internacional de Dança no CCBB-Brasília e no ¼ de Cena – Festival de Cenas Curtas, no SESC Garagem, em 2017.

Ficha técnica
Direção, coreografias e dramaturgia: Raquel Karro
Intérprete criadora: Beatrice Martins
Direção técnica, criação de aparelhos e participação especial: Daniel Lacourt
Assistência de direção: Julia Henning
Direção de vídeo e projeções: Cícero Fraga e COMOVA
Direção musical e trilha sonora original: Luiz Olivieri
Figurino e cenografia: Roustang Carrilho
Desenho de luz: Pedro Martins
Fotografias: João Saenger
Identidade visual: Bruna Daibert
Realização: Coletivo Instrumento de Ver

Serviço:

Por Um Triz

Distrito Federal (DF)

27 e 29 de outubro
Sesc Gama
Setor Leste Industrial, Lotes 620 a 680 – QI 1

31 de outubro e 1º de novembro
Sesc Ceilândia
QNN 27 – Área Especial S/N – Ceilândia Norte

10 e 11 de novembro
Espaço Cultural Renato Russo
Asa Sul Comércio Residencial Sul 508

Rio de Janeiro (RJ)

17 e 18 de novembro
Arena Carioca Dicró

Fortaleza (CE)

20 de novembro
CUCA Barra

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Obs.: As sessões dos dias 27 de outubro, no Gama, e 31 de outubro, em Ceilândia, contarão com tradução em LIBRAS e serão seguidas por bate-papo dos criadores do espetáculo com a plateia.

Duração do espetáculo: 50 minutos

Classificação indicativa: Livre

Saiba mais