Escola Nacional de Circo debate a formação em artes circenses | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialCircoTodas as notíciasEscola Nacional de Circo debate a formação em artes circenses

Escola Nacional de Circo debate a formação em artes circenses

III Seminário Perspectivas e Desafios para Formação em Artes do Circo é voltado para alunos e professores da instituição. Abertura no dia 19/12 será franqueada ao público

Publicado em 11 de dezembro de 2017 Imprimir Aumentar fonte
III Seminario Artes do Circo 2017
III Seminario Artes do Circo 2017

A Escola Nacional de Circo Luiz Olimecha realiza de 19 a 22 de dezembro, em sua sede na Praça da Bandeira, Zona Norte do Rio de Janeiro (RJ), o III Seminário Desafios e Perspectivas para Formação nas Artes do Circo. O evento, voltado para alunos e professores, tem como objetivo debater e promover uma reflexão sobre as questões inerentes ao Curso Técnico em Arte Circense, ministrado pela Escola e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). A abertura, às 10 horas do dia 19 de dezembro, será franqueada ao público.

Esta edição do seminário atende à demanda dos jovens artistas em formação e foca no processo criativo nas artes do circo, sendo composto por palestras (dimensão teórica) e oficinas (dimensão prática). Serão sete os enfoques abordados: vocabulário corporal, corpo distorcido, criação da cena, elementos cênicos, teatro físico, dança no circo e interação com aparelhos circenses.

A dimensão teórica visa dar ferramentas aos jovens artistas circenses para que desenvolvam um pensamento crítico sobre os aspectos dramatúrgicos e técnicos de suas criações. Por outro lado, a dimensão prática tem por objetivo o compartilhamento de métodos e ferramentas de criação circense, considerando as interdisciplinaridades e diferentes propostas estéticas.

Participam do seminário: Aisha Queiroz de Britto e Lima, artista de circo e professora de artes cênicas radicada na Itália; Alain Alberganti, diretor, professor de teatro e performer; Alessandra Vanucci, professora; Alice Rende, artista de circo e professora de artes cênicas; Pedro Paulo Arruda, artista de circo e diretor de arte; Roberto Magro, artista de circo, dramaturgo, professor e diretor e Veronica Rossetto Piccini, artista de circo e professora de dança.

A Escola Nacional de Circo Luiz Olimecha da Fundação Nacional de Artes – Funarte é a única escola pública da área de circo da América do Sul e, por esta razão e por sua capacidade técnica, tornou-se referência nacional e internacional para o ensino das artes circenses.

No ano de 2015, o Curso Técnico em Arte Circense foi reconhecido pelo Ministério da Educação, através da Resolução nº 11 de 2 de abril de 2015 do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, com o qual a Funarte firmou parceria. Isto permitiu que a ENC formasse 53 alunos na primeira turma do curso, em maio de 2017.  Estes profissionais formados hoje estão distribuídos pela cadeia produtiva do circo: criação, circulação, ensino, pesquisa no Brasil e no exterior. Além disso, somente nestes dois últimos anos, a ENC desenvolveu projetos voltados para residências artísticas, criação de espetáculos, participação em seminários com instituições públicas e privadas no Brasil e exterior, possibilitando, desta forma, a criação de novas janelas de experimentação para seus alunos.

Sobre os participantes
Aisha Queiroz de Britto e Lima
Artista de circo e professora de artes cênicas radicada na Itália, atualmente realiza residência artística na Scuola di Circo FLIC, em Turim/Itália. Realizou apresentação de suas criações em festivais internacionais de circo no Brasil e na Itália. Possui formação em mastro pendular e mastro chinês na Scuola di Circo FLIC, em Turim/Itália. Graduou-se em Artes Cênicas – Interpretação Teatral na Universidade Federal da Bahia e se formou também no Curso Técnico da Escola Nacional de Circo em mastro chinês, mastro pendular e lira. Foi contemplada pelo Prêmio Funarte Caixa Carequinha de Estímulo ao Circo 2014, com o projeto Pesquisa de Movimento Performático em Mastro Pendular.

Alain Alberganti
É doutor em Estética (Teatro e Dança) pela Universidade Paris 8 (França), diretor, professor de teatro e performer. Estudou com atores do Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski e com o fundador da mímica corporal, Étienne Decroux. Formou-se em técnicas da dança butoh de Min Tanaka e Kazuo Ohno. Com mais de 20 anos de experiência profissional no ensino do teatro e da dança-teatro, em 2013 publicou De l’art de l’installation – La spatialité immersive (Da arte da instalação – A espacialidade imersiva), Editora L’Harmattan (Paris/França). Escreveu vários artigos sobre a arte da instalação em ligação com o corpo, o espaço urbano e o político. Encenou na França vários espetáculos de teatro e realizou performances de dança butoh e de teatro físico, no Rio de Janeiro, onde ministra cursos em diferentes faculdades, centros culturais e escolas de teatro e dança.

Alessandra Vanucci
Professora no Curso de Direção Teatral da ECO/UFRJ. Foi coordenadora no Curso de Artes Cênicas do Departamento de Letras da PUC-Rio e professora adjunta no Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto/MG (2009 a 2012). Possui graduação em Lettere e Filosofia (DAMS-Bologna/Itália, 1993), mestrado em Teatro (UNI-RIO, 2000), doutorado em Letras (PUC-Rio, 2004), com período “sanduíche” em Roma (La Sapienza, 2003). Tem ampla atuação na área de Artes, com ênfase na Encenação e Dramaturgia, em cerca de 30 montagens teatrais, no Brasil e na Itália.

Alice Rende
Artista de circo e professora de artes cênicas, atualmente participa como intérprete da montagem Silezio, coprodução do Mercat des Flos (Barcelona/Espanha). Completou mestrado pelo Programa de Pós-graduação em Artes da Cena da Universidade Federal do Rio de Janeiro/ UFRJ; formou-se no Curso Técnico em Artes Circenses pela Escola Nacional de Circo do Brasil e é cofundadora da Cia Amorfo. Realizou projetos de criação artística contemplados com apoio de diversos programas e fundos internacionais, entre eles o Circus Incubator (2016-17) e o Iberescena (2017). Entre 2016 e 2017, foi artista residente dos centros de residência internacionais Subtopia (Estocolmo/Suécia), La Grainerie (Toulouse/França) e la Central del Circ (Barcelona/Espanha).

Pedro Paulo Arruda
Artista de circo e diretor de arte, com formação no Curso Técnico em Artes Circenses da Escola Nacional de Circo. Trabalhou como artista de circo para o Ringling Brothers and Barnum e Bailey Circus/ EUA (2011-2013). Foi diretor de arte do Club Magic Life, na Turquia, Tunísia, Egito e Grécia (2013-2016), onde atualmente dedica-se à produção de espetáculos. No Brasil, realizou criações para diversos shows e eventos privados e para a Comissão de Frente de Escolas de Samba. Foi diretor de arte de oito espetáculos que compuseram a I Bienal da Escola Nacional de Circo (2017).

Roberto Magro
Artista de circo, dramaturgo, professor e diretor, formado em artes cênicas pela Academia de Comédia Dell’Arte (Itália) e em artes circenses pela Academie Annie Fratellini (França). Foi diretor artístico da Central del Circ de Barcelona (Espanha/2013-2016) e diretor artístico da Scuola di Circo de Turin (Itália/2005-2013). É membro da Comissão de Avaliação Artística da Fédération Européenne des Escoles de Cirque Professionalles (Fedec). Também, integrou a Cia. de Nouveau Cirque Les Oiseaux Fous e foi fundador da Cia. Rital Brocante, ambas na França. Criou o Festival do Brocante, em 2007, um festival internacional contemporâneo em Valcovera (Itália) e dirigiu oito espetáculos na I Bienal da Escola Nacional de Circo (2017).

Veronica Rossetto Piccini
Artista de circo e professora de dança, formada em dança pela Unicamp, em 2007.  Possui formação em trapézio fixo na Scuola di Circo FLIC, em Turim/Itália. Participou de inúmeros espetáculos de circo com o grupo Circo Roda Brasil, Pia Fraus, Acrobático Fratelli, Cia K., entre outros. Além de inúmeros eventos, participou de espetáculos importantes como a ópera Turandot, no Teatro La Scala em Milão e de Scarpe, com a Cia. Sosta-Palmizi. Regressou ao Brasil em 2013 e, desde então, vem ministrando diversos cursos, além de participar de espetáculos com a Cia K. e com a Cia. de dança Silenciosas+Gt’aime, dirigida por Diogo Granato, aprimorando a técnica da acro-dança (estilo de dança que combina técnica de dança clássica com precisão de elementos acrobáticos) e do improviso cênico.

Serviço:

III Seminário Perspectivas e Desafios para Formação em Artes do Circo

De 19 a 22 de dezembro
Abertura: terça-feira, 19 de dezembro, às 10h

Local: Escola Nacional de Circo Luiz Olimecha
Rua Elpídio Boamorte, S/Nº
Praça da Bandeira – Rio de Janeiro (RJ)
(21) 2504-5320

* Evento fechado, voltado para alunos e professores da ENC.

** A abertura, às 10 horas do dia 19 de dezembro, será franqueada ao público.