#

patrocínio:

Lei de Incentivo à Cultura Petrobras
Brasil Memória das Artes
Conheça o Brasil Memória das Artes

Wilson Batista (1985)

Ouça o disco com a participação de Joyce e Roberto Silva

Capa do LP "Wilson Batista" (1985)

Capa do LP "Wilson Batista" (1985)

Mídias deste texto

Imagens (9 imagens)

Áudios (9 áudios)

  • < play >
    00:00 vol
    subir
    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Mundo de Zinco

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Meus Vinte Anos

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – E o Juiz Apitou Samba Rubro-negro

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Louco Ela e seu Mundo

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Oh seu Oscar Emilia a Mulher que eu Gosto

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Mãe Solteira

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Programa no Tempo de Noel

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Sambei 24 Horas

    • Discos Projeto Almirante – Wilson Batista – Chico Brito Nega Luzia Mulato Calado

    descer

O samba foi sua glória

Afora breve período na adolescência em que exerceu a poética profissão de acendedor de lampiões, Wilson Baptista de Oliveira seria pelo resto da vida um compositor popular. Ao longo de quase quarenta anos ele só soube fazer ver­sos e melodias. Pode-se mesmo dizer que ante­viu seu maior legado em um verso de Mundo de Zinco: “o samba foi minha glória”.

Mas o samba, que lhe ensejaria a glória músi­cal, jamais lhe renderia em termos materiais o correspondente ao valor de sua obra. Wilson vi­veu sempre às voltas com dificuldades financei­ras, situação que procurava amenizar compondo intensamente, mesmo em ocasiões de pouca inspiração. Daí resultou o extenso repertório que ele dividiu com dezenas de parceiros ilustres, como Nássara, Roberto Martins, Ataulfo Alves etc., além de outros, meros aproveitadores, a quem vendia sua arte a preço de liquidação.

Embora semianalfabeto, incapaz de escre­ver uma nota musical, Wilson seria um dos mais importantes integrantes da geração de composi­tores que fixou o samba urbano carioca. Ao con­trário, porém, de muitos desses sambistas, ele não restringiu sua produção aos temas românti­cos, mas enriqueceu-a com canções que o quali­ficam como um perspicaz cronista de costumes. Assim, ao lado de peças que cantam amores e desenganos (A Mulher que eu Gosto, Preconcei­to, Meus Vinte Anos etc.), alinharia, até em maior quantidade, as que contam tragédias e comé­dias do cotidiano (Mãe Solteira, O Bonde de São Januário, Acertei no Milhar etc.).

Essas duas tendências marcantes da obra de Wilson estão bem representadas neste elepê em que a Divisão de Música Popular do Instituto Nacional de Música da Funarte homenageia sua memória. Ao valor artístico do disco soma-se ainda sua importância documental, na medida em que apresenta o próprio compositor can­tando e depondo sobre sua carreira.

(trecho de texto de Jairo Severiano, leia o encarte na íntegra na galeria de imagens. Para melhor leitura, clique em “tamanho máximo”)

Músicas

  1. Mundo de Zinco
  2. Meus Vinte Anos
  3. E o Juiz Apitou/ Samba Rubro-Negro
  4. Louco ( Ela é Seu Mundo )
  5. Oh ! Seu Oscar/A Mulher que eu Gosto/Emilia
  6. Mãe Solteira
  7. Programa No Tempo de Noel/Feitiço da Vila/Frankenstein da Vila/Pedreiro Valdemar/Balzaquiana/Oh! Seu Oscar/Lenço no Pescoço/Rapaz Folgado/Conversa Fiada
  8. Sambei 24 Horas
  9. Chico Brito/ Nega Luzia/Mulato Calado

Obs: Esta é a ordem do CD lançado em 1998. A ordem do LP é diferente e pode ser vista no encarte.

Músicos

Luiz Otávio Braga – violão 7 cordas: A, faixa 3; B, faixas 3 e 5
Maurício Carrilho – violão: A, faixa 3; B, faixas 1, 2, 3 e 5; tamborim: B, faixas 1 e 3
Paulinho da Viola – violão: A, faixa 3
Henrique Cazes – cavaquinho: A, faixa 3; B, faixas 1, 3, 4 e 5; banjo: B, faixa 5
Beto Cazes – pandeiro: A, faixa 3; B, faixas 1 e 3; tamborim: A, faixa 3; B, faixas 1, 3, 4 e 5; reco-reco: A, faixa 3; B, faixas 3 e 5; repique: A, faixa 3; surdo: B, faixas 1, 3 e 5; ganzá: B, faixas 1 e 4; caixa de feijão: B; faixa 1; caixa de fósforos: B, faixa 5
Elton Medeiros – caixa de fósforos: A, faixa 3
Joyce – violão: B, faixas 1 e 4; vocal: B, faixa 1
Ronaldo Diamante – contrabaixo elétrico: B, faixas 1 e 2; contrabaixo acústico: B, faixa 4
Dazinho – sax-alto: B, faixas 1 e 3; flauta: B, faixas 2 e 3
Norato – trombone: B, faixas 1, 3 e 5
Tuti Moreno – bateria: B, faixas 1 e 4
Oscar Bolão – tamborim: B, faixas 1 e 3; bateria: B, faixas 2 e 5; ganzá: B, faixa 5
Márcia Ruiz – vocal: B, faixa 1

Aloísio Didierpiano: B, faixa 2

Coro: Francinete, Verônica Sabino, Márcia Ruiz, Maurício Carrilho, Beto Cazes: 8, faixas 3 e 5; Henrique Cazes: B, faixa 5.

Ficha Técnica

Produção Fonográfica: Funarte/INM/Divisão de Música Popular
Produção Artística: Henrique Cazes
Produção Executiva: Divisão de Música Popular/INM – Otorino Bilheri, Vera Fernandes; Hilton Nobre, Marília Loback, Raimundo Roma, Jorge Nei
Arranjos: Henrique Cazes e Joyce
Estúdio: Hara Internacional (Rio de Janeiro, Brasil), dezembro de 1984
Equipamento: Allen and Heath, 16 canais
Mixagem: Estúdio Eldorado (São Paulo, Brasil)
Técnico de Mixagem: Gatão
Prensagem e Corte: Gravações Elétricas S.A.
Produção Gráfica: Departamento de Editoração da Funarte
Transcrição do programa de Almirante: Wilson Medeiros, Estúdio Transamérica (Rio de Janeiro, Brasil)
Texto: Jairo Severiano
Ilustração da Capa: Nássara
Fonogramas Sambei 24 horas e Mulato Calado cedidos por EMI-ODEON Ltda
Agradecimentos especiais a Márcia Ruiz e Ayrton Pisco

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

2

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.

João Bosco Albergaria Pereira

enviado em 17 de novembro de 2010

Boa tarde. Gostaria se possível obter informação de como adquirir LPs ou mesmo CDs, de Wilson Batista e Antonio Nassara.No aguardo, agradeço desde já a atenção.João Bosco.

    Stela Ribeiro

    enviado em 18 de novembro de 2010

    João, é provável que você encontre alguma coisa em CD na Livraria Mario de Andrade, que funciona no pátio do Palácio Gustavo Capanema. Mas não temos como garantir.

Textos

leia todos os 41 textos deste acervo »

Imagens

veja todas as 189 imagens deste acervo »

Áudios

ouça todos os 216 áudios deste acervo »

Vídeos

veja todos os 21 vídeos deste acervo »

  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (english)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (english)

    Videodocumento
  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (française)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (française)

    Videodocumento
  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (español)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (español)

    Videodocumento