#

patrocínio:

Lei de Incentivo à Cultura Petrobras
Brasil Memória das Artes
Conheça o Brasil Memória das Artes

Sidney Miller (1982)

Ouça o disco com Alaíde Costa, Zezé Gonzaga e Zéluiz

Sidney Miller (1982)

Mídias deste texto

Imagens (11 imagens)

Áudios (20 áudios)

  • < play >
    00:00 vol
    subir
    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Maria Joana – Alô fevereiro

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Nós os foliões

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Alma minha

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Casinha do arraial

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – O circo

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Menina da agulha

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Paisagem sobre valsa

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – O bonde

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Pois é, pra quê?

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – A estrada e o violeiro

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Maria Joana / Alô Fevereiro

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Nós os Foliões

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Alma Minha

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Casinha do Arraial

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – O Circo

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Menina da Agulha

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Paisagem sobre a Valsa

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – O Bonde

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – Pois é, Pra Quê

    • Discos Projeto Almirante – Sidney Miller – A Estrada e o Violeiro

    descer

Apresentação

(texto de Hermínio Bello de Carvalho)

Era a intenção de Sidney Miller partir para uma produção independente, já que o circuito comercial fizeram-lhe ouvidos moucos. E se organizou para isso: compôs novas canções, selecionou algumas antigas, listou os músicos que participariam do trabalho e elaborou uma cuidadosa sinopse do Lp, que se chamaria Longo Circuito.

Sidney partiu sem concretizar seu projeto, logo ele que construíra tantos espaços para os outros! E ficou em nós o compromisso de resgatar algumas das ideias que esboçara. Convocamos Maurício Tapajós, seu amigo e parceiro, que fez um paciente trabalho de recuperação de alguns tapes que registravam uma rara apresentação na Sala Funarte de Brasília (tinha pavor de palcos) e em meu programa Água Viva na TVE. Paulo Afonso Grisolli trouxe-nos fitas com temas inéditos, e foi em cima desse material que Maurício montou o que seria um disco-documento. Mas era pouco, sentíamo-nos tratando Sidney de uma forma que talvez o desgostasse. O Antonio Adolfo, que com ele produziria o Longo Circuito, foi chamado para dar corpo a uma nova ideia, a de se traçar o retrato desse criador tão importante. O resultado está aí. O disco como Sidney o idealizara só ele poderia fazê-lo. Mas o carinho e obstinação que despejamos neste trabalho é a melhor prova do respeito que guardamos ao seu imenso talento e enorme integridade artística, reservas indestrutíveis que seu desaparecimento não apagou.

E é para nós um privilégio ter, homenageando Sidney, três raras vozes de nossa música: Zezé Gonzaga, Zéluiz e Alaíde Costa. E ele, eu sei, ficaria bastante feliz com essa escolha.

(Leia a íntegra do encarte na galeria de imagens. Para melhor leitura, clique em “tamanho máximo”)

Lado A

1. Maria Joana/ Alô Fevereiro (com Zéluiz e Zezé Gonzaga)
2. Nós os Foliões (com Zéluiz)
3. Alma Minha (com Zezé Gonzaga)
4. Casinha do Arraial (com Zé Luiz)
5. O Circo (com Sidney Miller)

Lado B

1. Menina da Agulha (com Zéluiz e Alaíde Costa)
2. Paisagem sobre Valsa (com Alaíde Costa)
3. O Bonde (com Zéluiz)
4. Pois é, pra quê? (com Zezé Gonzaga, Alaíde Costa e Zéluiz)
5. A Estrada e o Violeiro (Sidney Miller e Nara Leão)

Ficha Técnica

Produção – Funarte / INM / Divisão de Música Popular
Produção artística – Hermínio Bello de Carvalho
Produção executiva – Júlia Pelegrino
Arranjos – Antonio Adolfo
Técnico de som e mixagem – Chocolate
Auxiliares de estúdio – Celso e Waldyr
Gravação e montagem – dias 17, 18, 19 e 22 de novembro de 1982
Estúdio – Rancho Studio (Rio de Janeiro, Brasil)
Corte – Ademilton
Prensagem – Gravações Elétricas s/a
Edição – Depertamento de Editoração da Funarte

Compartilhe!

Caro usuário, você pode utilizar as ferramentas abaixo para compartilhar o que gostou.

Comentários

2

Deixe seu comentário

* Os campos de nome, e-mail e mensagem são de preenchimento obrigatório.

Ruy Quaresma

enviado em 18 de março de 2011

E os músicos ? Quem são ? Antonio Adolfo. Luizão Maia, Ruy Quaresma, Nelsinho Trombone…

    maria.cristina

    enviado em 21 de março de 2011

    Oi, Ruy. Os nomes dos músicos que tocaram em cada faixa estão no encarte, disponível em “Mídias deste texto”, “ampliar a galeria”.

    Abraços!

Textos

leia todos os 41 textos deste acervo »

Imagens

veja todas as 189 imagens deste acervo »

Áudios

ouça todos os 216 áudios deste acervo »

Vídeos

veja todos os 21 vídeos deste acervo »

  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (english)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (english)

    Videodocumento
  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (française)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (française)

    Videodocumento
  • O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (español)

    O samba de Wilson Batista e a elegância de Roberto Silva na memória de Joyce Moreno (español)

    Videodocumento