‘Territórios da Arte’ chega a Recife com foco nas iniciativas culturais nordestinas | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialArtes IntegradasTodas as notícias‘Territórios da Arte’ chega a Recife com foco nas iniciativas culturais nordestinas

‘Territórios da Arte’ chega a Recife com foco nas iniciativas culturais nordestinas

Projeto da Universidade Federal Fluminense e da Fundação Nacional de Artes percorre as regiões do país em busca de um mapeamento afetivo

Publicado em 5 de setembro de 2017 Imprimir Aumentar fonte
Territorios da Arte – Recife
Territorios da Arte – Recife

De 13 a 15 de setembro, a capital pernambucana vai sediar a última etapa regional do projeto Territórios da Arte, promovendo a interseção de sua cultura e sua arte com toda a região Nordeste. O projeto, parceria entre a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Fundação Nacional das Artes –Funarte, tem a intenção de criar uma cartografia colaborativa, a partir de narrativas que entrelaçam arte, memórias, vínculos sociais e afetivos locais, diferente dos mapeamentos tradicionais.

Maristela Rangel, diretora do Centro de Programas Integrados da Fundação Nacional de Artes (Cepin), explica que “o projeto já percorreu as regiões Centro-Oeste, Sul e Norte e agora chega à região Nordeste”. “Este caminho nos permite afirmar que, a cada local, aflora uma riqueza cultural somente possível de mapear quando estamos presentes nos territórios”, conclui.

“O método do projeto parte de prospecções no cenário cultural e artístico local, para promover rodas de conversas e a construção de um mapa colaborativo, que traduzirá a visão coletiva sobre o panorama da arte e da cultura em cada região, gerando, para a UFF e a Funarte, um enorme aprendizado”, explica Leonardo Guelman, superintendente do Centro de Artes da UFF e gestor do projeto.

As rodas de conversas são compostas por quatro eixos: o de experiências colaborativas em artes discute o papel dos artistas e coletivos na reconfiguração da cena artístico-cultural nos territórios; o de direitos culturais debate os direitos à cultura e da cultura; o eixo de guardiões de memória e políticas de salvaguarda trata da memória do ponto de vista das pessoas e também da preservação dos acervos; e, finalmente, o eixo arte de viver e viver da arte traduz o desafio colocado para artistas e produtores de viverem deste ofício.

Em Recife, o Territórios da Arte conta com o apoio dos Correios e os encontros serão nos dias 13, 14 e 15 de setembro, no Centro Cultural dos Correios.

Etapas regionais
O projeto já esteve em Cuiabá (MT), Florianópolis (SC) e Belém (PA). O encontro de Recife (PE) será a finalização do mapeamento regional. No Rio de Janeiro (RJ), todos os territórios estarão representados, juntamente como a região Sudeste, compreendida como catalisadora das experiências, em um evento que contará com mais de 50 participantes, vindos de todas as cidades pelas quais o projeto passou.

O evento é totalmente gratuito e as inscrições podem ser feitas na página do Facebook (www.facebook.com/territoriosdaarte) ou na hora. Será conferido certificado aos participantes.

Programação de Recife:

Dia 13

13h – Recepção e credenciamento

13h30 – Mesa de abertura com representantes da Universidade Federal Fluminense (UFF), Fundação Nacional de Artes (Funarte), Fundação de Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), Fundação de Cultura da cidade do Recife (FCCR), Secretaria de Cultura do Recife, Secretaria de Cultura de Olinda e do Centro Cultural dos Correios.

14h- Experiências Colaborativas em Artes
O papel dos coletivos na reconfiguração da cena artístico-cultural nos territórios. Horizontalidade dos processos criativos e polifonia de vozes e expressões. Convergências de linguagens, reapropriação das memórias e afirmações identitárias. Pontuação e realce de ambientes interativos de cooperação, colaboração e articulação no território.
Palestrantes: Rogério Dyas (cantor, ativista cultural e idealizador do Quintal Cultural), Nina Rodrigues e Ya Juste (Projeto Arrete), Chico Ludermir (Rede Coque Resiste), Bruna Leite (Coletivo Sexto Andar) e Ede Alves (Projeto Mutirão da Cultura). Mediação: Pedro Gradella (UFF).

16h- Coffee break

16h30- Cartografia cultural: mapa falado colaborativo de coletivos artísticos e expressões culturais
Articuladores:
Luiz Mendonça (UFF) e Pierre Crapez (UFF).

Dia 14

10h – Direitos da Cultura
Objetiva abordar as relações entre direitos, corpo e cidade, tratando de temas como cultura negra, periferia, feminismo e ativismo social. Discussão sobre as questões culturais a partir de sua intersecção com direitos sociais e liberdade de expressão artística.
Palestrantes: Ana Carla Moraes (artista e agente cultural), Mãe Beth de Oxum (ialorixá, cantadora de coco e produtora), Paula Dri (dançarina, pesquisadora e integrante do Pussytivismo), Preta Ana (Voz Nagô) e Fabiano Carneiro (coordenador de Dança da Funarte). Mediação: Ana Paula Lima (UFF).

12h30 – Intervalo para almoço

14h – A arte de viver da arte: circo
Visa promover uma reflexão sobre a arte circense com foco nos circos itinerantes de pequeno e médio portes, discutindo a pluralidade estética e estrutural dessa linguagem, além do papel artístico-social das trupes e artistas independentes.
Palestrantes: Marcos Teixeira (coordenador de Circo da Funarte), Fátima Pontes (coordenadora executiva da Escola Pernambucana de Circo), Zezo Oliveira (artista, pesquisador e diretor de artes em circo) e Madalena Smith (Empyre Circus). Mediação: Williams Sant’Anna (artista, educador e historiador).

16h- Coffee break

16h30– Cartografia cultural: mapa falado colaborativo de coletivos artísticos e expressões culturais
Articuladores:
Luiz Mendonça (UFF) e Pierre Crapez (UFF).

Dia 15

10h – Acervo documental e memória
Relação entre memória e acervos documentais. Problematização de acervos institucionais e memória viva.
Palestrantes: Maria de Lourdes Bezerra Cordeiro (conservadora no Museu da Cidade Recife), Nicole Costa (pesquisadora e gerente de conteúdo do Paço do Frevo), André Luiz Gomes Soares (professor, pesquisador e historiador pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco) e Aneide Santana (historiadora, arquivista e pesquisadora). Mediação: Maristela Rangel (diretora do Centro de Programas Integrados da Funarte).

12h30 – Intervalo para almoço

14h – Reapropriações estéticas e hibridizações musicais
Experiências estéticas da tradição viva, suas resistências e reinvenções através de novos processos de conexões, contaminações e trocas entre diferentes matrizes culturais.
Palestrantes: Rosana Lemos (coordenadora de Bandas de Música da Funarte), Fred Zero Quatro (cantor, compositor, violonista, cavaquinista e guitarrista, vocalista da banda Mundo Livre S/A), Spok (músico e idealizador da Spokfrevo Orquestra), Mestre Barachinha (caboclo e mestre do Maracatu Estrela de Ouro) e Palas Pinho (cantora e compositora de música brega). Mediação: Marcos Souza (diretor do Centro da Música da Funarte)

16h- Coffee break

16h30- Cartografia cultural: mapa falado colaborativo de coletivos artísticos e expressões culturais
Articuladores:
Luiz Mendonça (UFF) e Pierre Crapez (UFF).

Local: Centro Cultural dos Correios
Av. Marquês de Olinda, 262 – Recife (PE)