Início do conteúdo
Notícias Funarte publica coletâneas de contos inspirados em canções de Martinho da Vila e Bezerra da Silva

Funarte Notícias

Publicado em 18 de abril de 2019

Funarte publica coletâneas de contos inspirados em canções de Martinho da Vila e Bezerra da Silva

Textos inéditos foram selecionados por curadores da Festa Literária das Periferias (FLUP). Lançamento será no próximo dia 28, no Museu de Arte do Rio, na festa de encerramento da mostra O Rio do Samba: Resistência e Reinvenção.

Funarte publica coletâneas de contos inspirados em canções de Martinho da Vila e Bezerra da Silva

A Fundação Nacional de Artes – Funarte lança no dia 28 de abril, domingo, a partir das 15h, no Museu de Arte do Rio (MAR), Centro, dois livros inspirados em dois dos maiores sambistas brasileiros: Conta Forte, Conta Alto traz 28 contos criados a partir da releitura de canções de Martinho da Vila; já a obra 90 Anos de Malandragem reúne 25 narrativas curtas escritas com base no repertório de Bezerra da Silva.

Os contos foram produzidos nas oficinas de criação da Festa Literária das Periferias (FLUP), no Rio de Janeiro, entre 2017 e 2018. Autores estreantes, moradores das periferias, apresentaram a sua releitura das obras de Bezerra e Martinho, sob supervisão de bambas da literatura – alguns dos quais também escrevem para o livro. Aproveitaram-se do rico repertório dos sambistas para criar narrativas autênticas e originais a partir de cenários, frases ou personagens sugeridos nas canções.

O lançamento se insere na festa que encerra a mostra O Rio do Samba: Resistência e Reinvençãoa mais visitada da história do MAR. Após um ano de sucesso, a exposição aborda aspectos sociais, culturais e políticos da história do samba carioca, desde o século XIX até hoje. A bateria da Mangueira estará no evento, que terá atrações durante todo o dia. O presidente da Funarte, o pianista Miguel Proença, é esperado no lançamento.

Desde que a FLUP começou a revelar talentos, a paisagem literária brasileira tem sido frequentemente transformada por novas formas de narrar, novos cenários e novas questões. Com a publicação de Conta Forte, Conta Alto e de 90 Anos de Malandragem, a Funarte contribui para a difusão do trabalho dos jovens artistas e reforça a importância de dois nomes consagrados da música brasileira.

 

Lançamento: 28 de abril, domingo, das 15h às 18h

 

Sobre os músicos

 

MARTINHO DA VILA nasceu em Duas Barras (RJ) em 12 de fevereiro de 1938, um sábado de carnaval. Mudou-se aos quatro anos com os pais, lavradores, para a cidade do Rio de Janeiro. Trabalhou como contador e datilógrafo no Exército, entre 1956 e 1969. Ganhou o famoso apelido após se tornar o principal compositor e autor de enredos da escola de samba Unidos de Vila Isabel. Gravou seu primeiro LP em 1969, incluindo os sambas Menina Moça e Casa de Bamba, que já faziam sucesso nos festivais de música da TV Record. Ao longo da década de 1970, foi um dos principais nomes a popularizar o partido alto, variante do samba que estava até então restrita às rodas profissionais. Desenvolveu sua carreira inspirado pelas ligações históricas entre as culturas africanas e afro-brasileiras. Já foi gravado por Clara Nunes, Zeca Pagodinho, Simone e outros grandes intérpretes da MPB. Estreou como escritor em 1986 com o infantojuvenil Vamos Brincar de política? e desde então já escreveu Kizombas, andanças e festanças (1992), Os Lusófonos (2006) e outros nove livros.

BEZERRA DA SILVA nasceu no Recife (PE) em 23 de fevereiro de 1927 e desde menino já tocava zabumba e cantava coco. Aos 15 anos, saiu clandestino em um navio de Pernambuco e foi morar no Morro do Cantagalo, no Rio de Janeiro. Trabalhou como ajudante de pedreiro e pintor e tocava pistão e instrumentos de percussão. Ele mesmo contou que morou na rua e se dedicou à música por medo da fome. Nos anos 1950, cantando a vida dura do favelado, com picardia e malandragem, finalmente despontou no cenário musical. Gravou seu primeiro compacto em 1969 e o primeiro disco, O Rei do Côco, em 1975. Ao todo, foram 28 álbuns lançados em toda a carreira, que venderam juntos mais de três milhões de cópias. Por ter seu nome associado à vida na favela, foi estigmatizado e somente depois de décadas de uma carreira de sucesso é que ele conseguiu tocar em uma casa de espetáculos de renome – o Canecão, em 1996. Faleceu no dia 17 de janeiro de 2005 em decorrência de uma parada cardíaca.

Conta Forte, Conta Alto — Contos inspirados nas canções de Martinho da Vila
Organização de Ecio Salles e Julio Ludemir

Edições Funarte
Preço de capa: R$ 25,00
232 páginas
Formato: 16cm x 23cm
ISBN:    978-85-7507-197-7

 

Autores: AJ Tolissano, Ana Maria Gonçalves, André Salviano, Antonio de Medeiros, Antônio Marcos, Carla Barbiero, Denise Homem, Eliana Alves Cruz, Elis Barroso, Ernane Catroli, Estevão Ribeiro, Flávia Oliveira, Geovani Martins, Jessé Andarilho, Jocy Barreto Rangel, Jorge Capo, José Fontenele, Lucas Borges, Manuella Santos, Marcelo Moutinho, Pamella Guimarães, Pedro Mattos, Raphael Ruvenal, Raquel de Oliveira, Rodrigo Santos, Romulo Narducci, Silvana Bahia, Sylvia Arcuri.

90 Anos de Malandragem — Contos inspirados nas canções de Bezerra da Silva
Organização de Ecio Salles e Julio Ludemir

Edições Funarte

Preço de capa: R$ 25,00
168 páginas
Formato: 16cm x 23cm
ISBN: 978-85-7507-196-0

 

Autores: AJ Tolissano, Alana Francisca, Alexandra Silva, Antonio de Medeiros, Daniel Grimoni, Deocleciano Faião, Erick Lota, Evandro Luiz da Conceição, Guilherme Fraenkel, Jessé Andarilho, Jorge Capo, Juliana Berlim, Leandro Aguiar, Lindacy Menezes, Luana Arah, Maurício Maia, Mery Onírica, Raquel de Oliveira, Shayane Victória, Sylvia Arcuri, TetsuoTakita, Thaís Linhares, Uendel Arruda, Victor Meirelles, Yolanda Soares.

 

Lançamento: 28 de abril, domingo, das 15h às 18h

Museu de Arte do Rio
Praça Mauá, 5, Centro – Rio de Janeiro (RJ)
(21) 3031 2741

Veja o vídeo da Funarte sobre o livro

Pedidos para todo o Brasil, por meio do e-mail: livraria@funarte.gov.br

 

Mais informações para o público
Fundação Nacional de Artes – Funarte | Gerência de Edições
edicoes@funarte.gov.br