Bolsa Funarte de Criação Literária 2010 | Funarte – Portal das Artes
Você está em: Página InicialArtes IntegradasTodas as notíciasBolsa Funarte de Criação Literária 2010

Bolsa Funarte de Criação Literária 2010

Divulgada relação dos cinco projetos que serão publicados pela Funarte

Publicado em 22 de dezembro de 2011 Imprimir Aumentar fonte

A relação dos cinco projetos a serem publicados pela Funarte, contemplados no edital da Bolsa Funarte de Criação Literária 2010 foi publicada no Diário Oficial da União – Seção 2, do dia 21 de dezembro de 2011 (pág. 4). Os selecionados foram os seguintes:

- ‘Catracas Púrpuras’, de Pablo Augusto Tenório – Recife (PE)
- ‘Documentário’, de Tiago Novaes Lima – São Paulo (SP)
- ‘Martins Pena e João Caetano: Quando o teatro começou a ser brasileiro’, de Ivan Luiz Fernandes – Rio de Janeiro (RJ)
- ‘Sob a face neutra’, de Marco Aurélio Pinotti Catalão – Campinas (SP)
- ‘Antes do Passado’, de Liniane Isaag Brum – São Paulo (SP)

Acesse aqui a página do Diário Oficial com a portaria de divulgação do resultado

Sinopses dos projetos contemplados com publicação de obras

‘Catracas Púrpuras’ – Romance policial/prosa poética – O texto narra a trajetória de dois policiais que perseguem pessoas para exterminá-las. O enredo faz ver a realidade da violência, sob as várias faces de um mesmo sentido: o homicídio associado à beleza, mas em conflito com ela também, numa relação ambivalente. A partir de um caso de estupro seguido de morte, João Batista Dias aciona as engrenagens dos fatos e do sentido lírico das coisas, o que provoca uma perseguição, que tem como cenário as ruas, mas também e os sonhos, a carne e as palavras. No inconfundível estilo policial, a obra é pura realidade, mas também abstração, na qual, a cada linha, as palavras trocam de lugar e de identidade

‘Documentário’ – Romance – Escrito em cinco partes o texto retrata a história de um escritor que faz psicanálise, para enfrentar seus escrúpulos em relação à escrita e tratar seus conflitos com a esposa. Cada parte da obra corresponde a um tipo de discurso literário: da narrativa clássica ao cinema, da crítica literária ao ensaio. Uma parte do livro é um filme, que será incluído na obra em um encarte na parte interna da edição. Outra parte é um livro de citações, próprias e de terceiros. Outra parte é a crítica do romance ao próprio romance. O projeto propõe um hibridismo entre diferentes linguagens de arte e gêneros de literatura.

‘Martins Pena e João Caetano: quando o teatro começou a ser brasileiro’ – Romance. A proposta é do projeto é recontar, as origens do teatro brasileiro, mais especificamente da comédia, através da ficção histórica. A ideia é reconstituir a encenação da primeira comédia escrita e encenada por brasileiros, ‘O Juiz de paz na roça’, de Martins Pena, montada pela primeira vez em 1838. um dos objetivos do trabalho é promover um resgate das origens do teatro nacional teatrais, em forma de crônica, e mostrar os primeiros passos e as dificuldades dos pioneiros da cena brasileira sobretudo na comédia, na época, à margem de qualquer reconhecimento.

‘Sob a face neutra’ – Poesia. A proposta é produzir um conjunto de cerca de 50 poemas inéditos. Como um ‘dicionário às avessas’, cada poema será criado a partir de uma palavra. Em vez de gerar definições, o texto vai tentar expandir os sentidos de cada verbete, para apresentar desdobramentos verbais, em diferentes níveis. Com recursos como a rima, a paronomásia – jogo de palavras com som parecido mas de significado diferente – (um exemplo é o trocadilho), a aliteração (repetição de sons em uma mesma frase) e outros efeitos poéticos, pretende-se explorar as muitas faces dos vocábulos, que se ocultam sob a face neutra, dicionarizada.

‘Antes do Passado’ – Crônica. O padrinho e tio da autora, Cilon Cunha Brum, desapareceu sem deixar vestígios, supostamente durante a guerrilha do Araguaia. O livro é um estudo da história deste desaparecimento, a partir de lembranças, depoimentos, imagens, e referências a espaços geográficos, reunidas em um diário de viagem. A autora vai a São Paulo, Araguaia, Pará, Tocantins, Rio Grande do Sul, descobrir quem foi Cilon, como e porque ele desapareceu. Na busca, há uma abordagem da história contemporânea do Brasil. O objetivo é criar, organizar e entrelaçar uma série de crônicas, onde estarão presentes a a imprecisão da memória, em gênero narrativo, mas desenvolvido com lirismo.

SOBRE A BOLSA FUNARTE DE CRIAÇÃO LITERÁRIA 2010

Neste edital, pessoas das cinco regiões do Brasil que desejam se dedicar ao desenvolvimento de textos inéditos nos gêneros lírico (poesias) ou narrativo (romances, contos, crônicas e novelas) concorreram a bolsas de R$ 30 mil, para desenvolvimento de suas obras. Ao todo, 60 bolsas foram distribuídas por todo o país, em 2010. Entre os projetos contemplados, foram selecionados cinco produtos finais, para publicação pela Funarte. A escolha dos trabalhos a serem publicados foi realizada pelo Centro de Programas Integrados – Cepin/Funarte, pautado pelos pareceres de uma Comissão de Avaliação Final, conforme dispõe o edital. Os candidatos cujos produtos foram selecionados para publicação firmarão contrato de edição, específico para este fim.

SOBRE A AVALIAÇÃO

Os nomes dos integrantes da Comissão de Avaliação Final foram publicados no Diário Oficial da União de terça-feira, 27 de setembro de 2011 – Seção 2. A Comissão é composta por oito membros, de reconhecida idoneidade, notório saber e capacidade de julgamento, nas áreas de abrangência da bolsa. Cabe à equipe verificar a conformidade do produto final da bolsa com o projeto contemplado e ainda emitir parecer, para cada produto final. Os componentes da Comissão são os seguintes: Alvaro Costa e Silva Filho, Carlos Henrique de Sorocaba Botkay, Carlos de Vasconcellos Didier, Cristiane Costa, Gisela Simões Campos, João Paulo Vaz, Livia Reis e Suzana Bisch Kfuri.

Os critérios de avaliação final estabelecidos pela comisão (conforme disposto no edital) são: linguagem - excelência e coerência nas especificidades no trato da linguagem literária;  relevância cultural – valor simbólico, histórico e cultural da obra e manifestações culturais e artísticas envolvidas; criatividade e inovação – originalidade da obra e busca de novas práticas e relações no campo cultural.

Mais informações aqui